Governo de Timor-Leste confirma realização do voo da Euro Atlantic

O ministro da Educação da República de Timor-Leste disse nesta segunda-feira, dia 8 de março, estar comprometido com a chegada ao país de um voo de Lisboa que, entre outros passageiros, transportará mais de 100 professores portuguesas para escolas timorenses.

“Já coordenei com a ministra dos Negócios Estrangeiros e estamos comprometidos que esse voo aconteça”, na próxima semana, disse Armindo Maia, em declarações à agência de notícias portuguesa ‘Lusa’, acrescentando que não haverá “nenhum problema com a realização do voo”.

Depois de o Governo ter decretado a aplicação, a partir de terça-feira, dia 9 de março, de uma cerca sanitária e confinamento obrigatório em Díli, surgiram dúvidas sobre a realização do voo.

Também a ministra dos Negócios Estrangeiros, Adaljiza Magno, disse à ‘Lusa’ que “da parte do Ministério não há qualquer problema” com a realização do voo, frisando, porém que é necessária a autorização final do Ministério dos Transportes e do Ministério do Interior.

Fonte do gabinete do vice-ministro do Interior confirmou à ‘Lusa’ que da sua parte do Ministério foi já “autorizada a abertura do posto de fronteira para permitir a realização deste voo”.

Em causa está um voo previsto da EuroAtlantic, que deve partir de Lisboa no próximo dia 14 de março e que tem pelo menos 250 reservas marcadas, incluindo 108 professores para os Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE), um projeto luso-timorense para a requalificação do ensino timorense em língua portuguesa.

Este grupo de professores, a maioria dos quais renovaram contrato, vão juntar-se, depois de cumprirem 14 dias de quarentena, a 33 que já estão em Timor-Leste a trabalhar nos CAFE.

O projeto, um dos mais importantes de sempre desenvolvidos por Portugal de apoio ao setor educativo timorense, envolve além dos docentes portugueses um total de 152 professores timorenses e conta já com 9.900 alunos do pré-escolar ao 12º.

Os CAFE funcionam em todos os municípios e ainda no enclave de Oecusse-Ambeno.

Tradicionalmente marcado por atrasos na chegada dos docentes, o projeto foi particularmente afetado devido à pandemia da covid-19, em particular depois de um grupo de 88 dos 138 docentes que estavam em Timor-Leste ter optado, em abril de 2020, por regressar a Lisboa num voo de repatriamento, que ocorreu praticamente no início da pandemia.

A concretizar-se, o voo da EuroAtlantic Airways (EAA) será o quarto operado pela empresa entre Lisboa e Díli desde o início da pandemia e o primeiro este ano.

 

  • Na imagem vemos um Boeing 7676-300ER da Euro Atlantic Airways no Aeroporto Internacional de Dili, na República de Timor Leste. Foto © Hélio João de Lurdes.

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica