Governo já recebeu o relatório final sobre as opções de localização do novo aeroporto para a região de Lisboa

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A Comissão Técnica Independente (CTI) entregou nesta segunda-feira, dia 11 de março, ao Governo Português o relatório final sobre as opções de localização para o novo aeroporto de Lisboa, disse fonte oficial à agência portuguesa de notícias ‘Lusa’.

A CTI irá entregar o relatório também à Comissão de Acompanhamento que emitirá o seu parecer antes da publicação do relatório, prevista para 22 de março.

Em 5 de dezembro, a CTI apresentou o relatório preliminar, que depois foi submetido a consulta pública. 

A comissão considerou que, das nove opções em estudo, Alcochete é a que apresenta mais vantagem, com uma primeira fase em ‘modelo dual’ com o Aeroporto Humberto Delgado, passando depois para uma infraestrutura única na margem sul do rio Tejo.

Foi também considerada viável a opção de Vendas Novas, nos mesmos moldes, isto é, primeiro em ‘modelo dual’, passando depois para aeroporto único.

Nesta segunda-feira, dia 11, um dia depois das eleições legislativas, o presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Calheiros, disse estar apreensivo com um eventual adiamento da decisão sobre o novo aeroporto face ao cenário “incerto” de governabilidade que resultou das eleições legislativas.

“Preocupa-nos, sobretudo, no imediato, um possível novo adiamento da decisão sobre o novo aeroporto, algo que seria muitíssimo prejudicial para o turismo e para o país”, afirmou Francisco Calheiros, numa nota enviada às redações.

A CTP considera que “os resultados eleitorais sugerem um panorama político incerto em termos de governabilidade e estabilidade”, o que lhe levanta preocupações.

“Num momento de grande incerteza internacional, com as conhecidas consequências económicas e sociais, a perspetiva de dificuldades em Portugal em ter um Governo estável e a eventualidade de novas eleições, deixa os empresários do Turismo na expectativa, com um sentimento de incerteza, que em nada beneficia a atividade turística”, refere a confederação.

A Aliança Democrática (AD) venceu as eleições legislativas em Portugal, realizadas neste domingo (dia 10 de março), com 29,49% dos votos e 79 deputados, contra os com 28,66% e 77 deputados alcançados pelo PS, quando ainda falta atribuir os quatro mandatos do círculo da emigração. 

O Chega quadruplicou o número de deputados para 48, com 18,06% dos votos.

A IL conquistou oito deputados (5,08%), o BE manteve os cinco deputados (4,46%), a CDU diminuiu o número de deputados face a 2022 para quatro (3,3%).

O Livre vai formar pela primeira vez grupo parlamentar, tendo conseguido alcançar quatro deputados (3,26%), enquanto o PAN mantém-se com um deputado (1,93%).

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Presidente da SATA demitiu-se por falta de “condições” para continuar o “projeto proposto”

A Comissão de Trabalhadores da companhia aérea portuguesa Azores...

FAP terminou missão de patrulhamento no Golfo da Guiné em cooperação com países lusófonos

Os militares Força Aérea Portuguesa (FAP) da Esquadra 601...

Qatar Airways reforça Luanda que terá quatro voos semanais e alarga rede para Kinshasa

A Qatar Airways prossegue a expansão da sua rede...