Grupo Lufthansa desiste de consórcio para salvar a Alitalia

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O grupo de aviação comercial europeu Lufthansa, de matriz alemã, e a empresa pública que tem a concessão dos caminhos de ferro da Itália, Ferrovie delo Stato (FS), desistiram da formação de um consórcio para adquirir a companhia aérea italiana Alitalia, que se encontra agora numa posição económica-financeira muito crítica. Analistas do sector, quer na Itália, em particular, quer na Europa, em geral, estão muito pessimistas sobre o que poderá acontecer à transportadora aérea italiana, que desde 2002 não apresenta um exercício com lucros.

Há praticamente duas décadas que a Alitalia vive uma situação apertada, em termos económicos, por fatores vários, em que têm se destacado as constantes crises económicas e político-sociais verificadas na Itália, com maior prevalência nos últimos 10 anos, e que têm arrastado a companhia para uma situação desesperada.

Esta semana, Joerg Eberhart, presidente do grupo Lufthansa, foi recebido pela Comissão de Transportes da Câmara dos Deputados da Itália, onde reiterou que a maior empresa de aviação civil do país precisa de uma “profunda reestruturação”.

Joerg Eberhart foi a Roma a convite da empresa ferroviária, na perspectiva de ser negociada uma parceria que pudesse salvar a Alitalia. Uma parceria que poderia incluir outras empresas estrangeiras. Mas o gestor alemão anunciou que face aos elementos disponíveis, a resposta é negativa, pois foi categórico ao afirmar que a Lufthansa não investirá enquanto a concorrente italiana não passar por um processo de saneamento financeiro e operacional, que possa mudar radicalmente a atual estrutura de funcionamento da Alitalia.

“Estamos convencidos de que é inevitável uma profunda reestruturação da Alitalia. Apenas assim ela ganhará o tempo necessário e, partindo de uma posição de força, poderá escolher livremente entre os três sistemas de transporte aéreo mais fortes na Europa”, disse Joerg Eberhart, em referência à Lufthansa, Air France-KLM e ao Grupo IAG, dono da British Airways e da Iberia, entre outras companhias europeias.

A Alitalia está sob intervenção do governo desde maio de 2017 e mantém-se operacional graças a 1,3 mil milhões de euros em empréstimos públicos, uma quantia que deverá ser restituída aos cofres do Estado Italiano no momento de uma eventual venda.

A última negociação envolvia um consórcio liderado pela FS e que também contava com a holding rodoviária Atlantia e a companhia norte-americana Delta Air Lines, mas as partes não conseguiram chegar a um acordo sobre o plano de negócios. Antes o grupo Etihad, dos Emiratos Árabes Unidos, já tinha comprado parte do capital da Alitalia, mas não conseguiu recuperar a empresa.

Os falhanços na constituição de um consórcio que possa concorrer à privatização da companhia aérea italiana, levou o Governo de Roma a adiar mais uma vez o prazo final para a venda da Alitalia, desta vez para 31 de maio de 2020.

“Apesar de encontros positivos com a FS e a Atlantia, não encontrámos ainda um plano comum que permita à Lufthansa propor um investimento”, disse Joerg Eberhart, também presidente executivo da companhia italiana Air Dolomiti, subsidiária do grupo alemão, citado pela agência de notícias ‘Ansa’.

“Do nosso ponto de vista, é mais vantajoso fazer uma parceria forte do que um investimento”, acrescentou o gestor alemão. A Alitalia foi privatizada e hoje tem 51% de suas ações nas mãos da holding Compagnia Aerea Italiana (CAI) e 49% com o grupo árabe Etihad Airways, dos Emirados Árabes Unidos. Foi submetida a uma intervenção governamental em 2017, quando esteve à beira da bancarrota. Desde há mais de dois anos que a Alitalia vive de empréstimos públicos que garantem a sua sobrevivência. Está a ser gerida por um grupo de administradores nomeados pelo governo. Em dezembro passado o ministro das Finanças da Itália anunciou que a Alitalia estava a perder dois milhões de euros por cada dia de operação.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TAP Air Portugal retomou rota direta entre a Venezuela e a ilha da Madeira

– Cerimónia oficial e decoração a preceito na zona...

TAP Air Portugal terá 95 voos semanais para o Brasil no mês de julho

Uma delegação da TAP Air Portugal, liderada pelo seu...

Teste de táxi aéreo elétrico pode definir novo tipo de transporte para peregrinos do Hajj, na Arábia Saudita

Num movimento histórico, a Arábia Saudita conduziu com sucesso...

Instituto Superior de Aeronáutica e Turismo de Cabo Verde instalado na ilha do Sal

A Universidade Técnica do Atlântico (UTA) apresentou publicamente na...