Jato executivo do Governo da Venezuela cai no mar – Não foram encontrados sobreviventes


 

Um avião executivo Gulfstream III, registado na Venezuela com a matrícula YV-2896, caiu no mar, próximo da Península de Macanao, na ilha de Margarita, ao princípio da tarde desta terça-feira, dia 4 de julho. A bordo seguiam nove pessoas, que não tinham sido encontradas até ao final da tarde (horas locais – 23h00 UTC).

A aeronave estava ao serviço da Vice-Presidência do Governo Bolivariano da Venezuela e era operada pelo ‘Servicio Coordenador de Transporte Aéreo do Ejecutivo Nacional’, também designado por ‘SATA – Servicio Autonómico de Transporte Aéreo’.

Contrariando notícias divulgadas primeiro em diversos sites informativos generalistas e especializados sobre aviação da América Latina, o ministro do Interior da Venezuela, major-general Néstor Reverol, disse ao fim da tarde que o avião tinha partido do Aeroporto Santiago Mariño, na cidade de Porlamar, em Margarita, uma ilha que está situada a cerca de 285 quilómetros a noroeste de Caracas, e que se dirigia para o Aeroporto Internacional Simón Bolívar, em Maiquetia, no Estado Vargas, que serve a capital venezuelana e é o mais importante do país.

Segundo o ministro Néstor Reverol o avião teve uma avaria no sistema de controlo de voo logo que descolou da ilha Margarita e tentou retornar ao aeroporto. Depois de algum tempo sobre o mar, a gastar combustível para um pouso de emergência com menor risco, a tripulação foi surpreendida pela queda do aparelho, que ao amarar se quebrou em duas partes, quando estava a cerca de 40 milhas do aeroporto. O piloto tinha alertado a torre de controlo de Porlamar de que tinha um problema grave no sistema hidráulico, quando ainda estava a cerca de 3.000 pés de altitude (900 metros).

Equipas dos serviços de socorro, de busca e salvamento, marítimo e aéreo, deslocaram-se para o local, na esperança de recolher os ocupantes do aparelho. Segundo se sabe apenas conseguiram identificar o possível local onde o avião se despenhou, pois viram sobre a água diversos destroços, ainda não identificados.

A imagem recolhido do Flightradar24.com mostra que a aeronave queimou combustível até estar em condições de amarar com alguma segurança. Infelizmente, partiu-se em duas partes.

Não há qualquer comunicado oficial sobre o acidente, nem declarações detalhadas sobre os ocupantes do aparelho que, eventualmente, serão pessoas relacionadas com o Governo da Venezuela. Sites de informação e blogs conectados com a oposição indicam a hipótese de seguir a bordo, pelo menos, um ministro de Nicolas Maduro, o que não foi confirmado.

O site ‘AeroNotíciasVE‘, um dos mais ativos da Venezuela divulgou ao princípio da noite na sua conta do Twitter que a personalidade mais importante que seguia a bordo do avião sinistrado é o general piloto-aviador Kyhumell Ponte, presidente da Junta Investigadora de Acidentes de Aviação Civil (JIAAC), entidade que integra a Direção-Geral para a Prevenção e Investigação de Acidentes Aéreos do Ministério do Poder Popular para o Transporte Aquático e Aéreo da Venezuela. Como passageiros seguiam ainda o major Alex Durán, o capitão  Marcos Pérez Gainza (aposentado) e o capitão Navarro. Os restantes ocupantes seriam tripulantes da aeronave.

A mesma fonte noticiou mais tarde que elementos das equipas de resgate teriam já avistado dois corpos na água, facto que não foi confirmado oficialmente.

  • Notícia atualizada às 23h50 UTC

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica