Kenya Airways suspende voos regulares para Luanda e Maputo

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A Kenya Airways anunciou na semana passada a suspensão dos voos regulares para sete cidades africanas entre as quais Luanda (Angola) e Maputo (Moçambique). As restantes cinco são: Bamaco (Mali), Blantyre (Malawi), Brazzaville (República do Congo), Cartum (Sudão) e Mogadíscio (Somália).

Entretanto, a companhia retomou a rota Nairobi-Guangzhou (China) com um voo semanal em Boeing 787-8 Dreamliner, desde a passada sexta-feira, dia 14 de agosto (foto acima).

 

A companhia de bandeira do Quénia, que tem capitais estatais, e que hoje é uma das mais importantes e modernas do continente africano, está a passar por uma fase de reestruturação, após o período mais difícil da pandemia de covid-19. A Kenya Airways está em processo de nacionalização e planeia demitir 40 por cento dos seus funcionários, o que poderá conduzir ao despedimento de cerca de 1.500 funcionários.

O plano de demissões, previsto para estar concluído até 30 de setembro, vai economizar para a transportadora aérea queniana cerca de 600 milhões de xelins por mês (5,5 milhões de dólares norte-americanos), o equivalente a metade da massa salarial da empresa nos dias de hoje.

A associação nigeriana de pilotos (Kalpa) já constestou a decisão dos gestores em exercício na companhia e enviou uma carta ao Presidente da República, em que contesta a decisão da companhia e lamenta que esta não tenha aproveitado o mercado deixado vazio pela suspensão dos voos das companhias africanas Air Maurtius e South African Airways.

A Kenya Airways apresenta desde há oito anos consecutivos perdas financeiras. Devido à pandemia, espera-se um prejuízo anual de até 500 milhões de dólares norte-americanos para o ano corrente. Após o relançamento dos voos domésticos, a empresa acaba de retomar alguns voos da sua rede internacional, mas desta vez cortou sete rotas africanas. De acordo com os seus gestores, a companhia continuará “a operar uma rede reduzida, pois levará algum tempo até que a indústria da aviação comercial recupere”.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Presidente da SATA demitiu-se por falta de “condições” para continuar o “projeto proposto”

A Comissão de Trabalhadores da companhia aérea portuguesa Azores...

FAP terminou missão de patrulhamento no Golfo da Guiné em cooperação com países lusófonos

Os militares Força Aérea Portuguesa (FAP) da Esquadra 601...

Qatar Airways reforça Luanda que terá quatro voos semanais e alarga rede para Kinshasa

A Qatar Airways prossegue a expansão da sua rede...