LAM ainda não tem slots em Lisboa para retomar os voos para a Europa

A LAM – Linhas Aéreas de Moçambique está com dificuldades em obter slots no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, para retomar os seus voos de Maputo para a capital portuguesa, anunciados para março de 2020.

O jornal ‘O País’, que se publica em Maputo, anunciou na semana passada que “a situação pode comprometer o início das operações” e diz que “o retorno das Linhas Aéreas de Moçambique ao espaço europeu, concretamente a Portugal, está agora ameaçado”.

O jornal cita declarações do diretor-geral da LAM, João Carlos Jorge, que se manifestou esperançado de que até ao fim deste ano, “a situação seja ultrapassada, até porque há condições para tal”. Por enquanto não há ainda condições para introduzir o voo nos sistemas de vendas.

Além de Lisboa, vários outros destinos poderão surgir em breve com o desenvolvimento da indústria do gás em Moçambique, escreve o jornal, que adianta que “a falta de meios pode afectar as ambições da companhia de bandeira nacional”.

Conforme tem sido noticiado a LAM fez um acordo com a companhia portuguesa Hi Fly para fretamento, em regime de ACMI, de um avião Airbus A340 que fará os voos diretos entre Maputo e Lisboa, três vezes por semana (LINK notícia relacionada).

Em voos diretos a LAM terá a concorrência da TAP Air Portugal, também com três voos semanais entre a capital portuguesa e moçambicana, com aviões Airbus A330.

Em termos de concorrência, e considerando voos com uma única escala, as viagens entre Portugal e Moçambique podem ser feitas em voos da Qatar Airways, da TAAG – Linhas Aéreas de Angola e da Turkish Airlines. São companhias que operam em Lisboa e que a partir das suas bases nacionais – Doha, Luanda e Istambul, respectivamente – operam voos para a capital moçambicana.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica