LATAM transporta insumos para produzir 8,6 milhões de doses de vacinas no Brasil

O avião Boeing 777-300ER, matrícula PT-MUI, da LATAM Airlines Airlines, que transporta para o Brasil 5,4 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) para a produção da vacina anti-covid-19 da ‘CoronaVac’, vindo de Pequim, na República Popular da China, aterrou no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no Estado de São Paulo (SP), pelas 23h46 locais desta quarta-feira, dia 3 de fevereiro. Uma viagem longa que teve uma escala para reabastecimento no Aeroporto de Amesterdão/Schiphol, nos Países Baixos. No total foram 23h44 de voo, nas duas etapas da viagem de regresso, a que se juntam mais 21h05 nas duas etapas do voo de ida, também com escala em Amesterdão.

O fretamento, operado pela LATAM Cargo, foi contratado pelo Governo do Estado de São Paulo. Estes suprimentos farmacêuticos permitirão a produção de mais 8,6 milhões de doses da vacina contra a covid-19 pelo Instituto Butantan.

Com esta operação especial, a LATAM Cargo reforça o seu posicionamento como a primeira empresa de transporte aéreo do continente americano e a única da América do Sul a obter a certificação CEIV Pharma, emitida pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo).

Desde agosto de 2020, a LATAM Cargo tem planeado e adiantado os cenários para o transporte – doméstico e internacional – de vacinas, levando em consideração o destino, a infraestrutura dos aeroportos e a logística necessária, destaca uma nota da empresa aérea.

O avião brasileiro partiu do Aeroporto de Pequim, capital da República Popular da China, pelas 08h50 locais (00h50 UTC) desta quarta-feira, dia 3 de fevereiro. Fez uma escala para reabastecimento no Aeroporto de Amesterdão/Schiphol, nos Países Baixos, e descolou em direção a São Paulo, pelas 15h41 locais (16h41 UTC).

 

Imagem do desembarque no Aeroporto de Viracopos/Campinas, já na madrugada desta quinta-feira, dia 4 de fevereiro. Foto © Aeroportos Brasil Viracopos.

O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), em nota de imprensa distribuída na madrugada desta quinta-feira, dia 4 de fevereiro, diz que a operação de desembarque do produto seguiu todos os protocolos exigidos pelos órgãos de saúde e teve o apoio da ANVISA, Receita Federal e Polícia Federal para que tudo fosse feito de forma expedita. O tempo de desembarque foi ágil, com duração de aproximadamente 30 minutos, também graças às posições de estacionamento dedicadas especialmente para aeronaves de cargas, em frente ao Terminal de Carga de Viracopos. 

No dia 24 de dezembro passado, Viracopos já havia desembarcado 5,4 milhões de doses da vacina Coronavac, contra o coronavírus, vindas da China.  Na ocasião, o tempo de desembarque também ocorreu de forma segura e ágil. 

O Aeroporto Internacional de Viracopos preparou um esquema especial para agilizar o tempo de desembaraço das doses de vacina. Participaram da ação pelo menos 50 pessoas das mais diversas áreas da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, da companhia aérea LATAM e dos órgãos públicos como Polícia Federal, Receita Federal e ANVISA. 

A agilidade e a eficiência no desembarque só foram possíveis pelo projeto de fluxo aduaneiro e operacional expresso criado pelo Grupo de Trabalho formado especialmente para a receção e distribuição de vacinas por profissionais de Viracopos, Receita Federal e da ANVISA, no qual se aplica a legislação aduaneira elaborada especialmente para receber mercadorias destinadas à pandemia, principalmente vacina e seus insumos. 

Além de receber as doses de vacina no dia 24/12 e o IFA nesta quarta-feira (03/02), o Terminal de Carga de Viracopos também foi utilizado ao longo de 2020 para o desembarque de milhares de máscaras, respiradores e testes no combate à Covid-19. 

Em março e abril do ano passado, por exemplo, Viracopos recebeu milhares de testes para a identificação da Covid-19, encomendados pelo Instituto Butantan e vindos da Coreia do Sul. Os kits foram usados pelo governo do Estado de São Paulo no combate à doença. 

O Instituto Butantan, com sede na capital paulista, integra o esforço coordenado pelo Governo do Estado de São Paulo para controlar a disseminação do novo coronavírus e a consequente infeção que provoca a doença da covid-10. 

 

  • A imagem de abertura mostra o carregamento do avião brasileiro em Pequim. Foto © LATAM Airlines Brasil.
  • Notícia atualizada em 04 de fevereiro de 2021 às 12h00 UTC

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica