Ministro da Defesa defende estudo nacional sobre aeroporto no centro de Portugal

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O ministro português da Defesa defendeu nesta segunda-feira, dia 21 de setembro, que deve ser realizado um estudo para aferir da necessidade para o País de criar mais um aeroporto no centro, admitindo ser possível abrir a base de Monte Real à aviação civil, uma reivindicação das forças vivas da região desde, pelo menos, 1962, dada a proximidade do Santuário de Fátima, onde se deslocam anualmente milhares de peregrinos estrangeiros.

“É preciso assegurar o funcionamento da estrutura militar que é fundamental para o nosso país e para a NATO. As pessoas não têm noção, mas a defesa portuguesa é assegurada 24 horas por dia por aeronaves sediadas em Monte Real [em Leiria]. Isso é fundamental manter, mas não é impeditivo da possibilidade de haver aviões civis a aterrarem e a levantarem voo em Monte Real”, disse João Gomes Cravinho, à margem de uma mesa redonda sobre a “Economia de Defesa para o Futuro”, que decorreu na cidade de Leiria.

O ministro defende, porém, que esta matéria “precisa de ser acompanhada por um estudo” daquilo que se pretende para o país “em matérias de estruturas aeroportuárias no plano nacional”.

“Faz sentido pensando nacionalmente haver aqui uma estrutura aeroportuária? Vamos retomar um processo que já esteve em curso e que entretanto foi interrompido pelas eleições de outubro e depois pela pandemia”, acrescentou.

Gomes Cravinho referiu que deve existir um estudo entre o Ministério da Defesa e o Ministério das Infraestruturas e da Habitação “para olhar para aquilo que é possível para Monte Real” e, “em paralelo, deve haver um estudo sobre para que serviria, qual o investimento e como se vai buscar o financiamento”.

Sobre a possibilidade de abrir a Base Aérea n.º 5, em Monte Real, se existir um projeto privado, que seja economicamente sustentável, o governante sublinhou que a “perspetiva da Defesa não tem a ver com o sucesso do projeto”.

“A perspetiva é assegurar o bom funcionamento da base militar. Se o projeto é economicamente viável isso já é desde logo para o financeiro, mas também para o Ministério das Infraestruturas. A nossa preocupação é assegurar a viabilidade permanente da base aérea”, reforçou.

Desde que essa viabilidade “entre as utilizações esteja garantida”, João Gomes Cravinho considera que “está assegurada a condição” do uso do espaço para a aviação civil.

Além disso, o ministro recorda que a BA5 “já foi utilizada no passado para receber aviões civis”, pelo que admitiu que pode suceder o mesmo no futuro.

 

Autarcas de Leiria contestam posição e declarações da ministra da Coesão Territorial

O presidente do Município de Leiria, Gonçalo Lopes, disse nesta segunda-feira que está disponível para enviar ao Governo o estudo sobre a viabilidade da abertura da Base Aérea n.º 5, em Monte Real, à aviação civil.

A posição de Gonçalo Lopes surge em reação à entrevista da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, no domingo, que avançou que ainda não viu “nenhum estudo” que demonstre que essa infraestrutura aeroportuária é necessária e aonde.

O autarca socialista reforçou à agência ‘Lusa’ que a defesa do aeroporto em Monte Real “é baseada num estudo (adquirido pelos Municípios de Leiria e da Marinha Grande), que sustenta esta opção dada a proximidade de Fátima, o único polo da região com capacidade para gerar um fluxo de turistas suficiente para viabilizar a construção de um aeroporto na região”.

“Realçamos que o mesmo estudo demonstra que esta infraestrutura é viável e que existem empresários interessados em investir na sua construção. Teremos todo o gosto de enviar este estudo à senhora ministra”, afirmou o também presidente da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria.

Gonçalo Lopes lembrou ainda que o “Município de Leiria desde há largos anos tem vindo a trabalhar no sentido de garantir um aeroporto na região, e sempre trabalhou no sentido de alcançar um consenso alargado sobre este tema, no sentido de defender da melhor forma possível os interesses da região e do país”.

O presidente deu como exemplo a realização do “Fórum Aviação Civil em Monte Real – uma aposta para o desenvolvimento futuro da região”, em junho de 2018, em Leiria, “que contou com a participação de diversos representantes de forças vivas da região”.

Também o presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, disse nesta segunda-feira que o estudo sobre a criação de um aeroporto na região Centro, encomendado pelo município, é um contributo para ajudar a tornar o país “mais coeso”.

O estudo promovido recentemente pela Câmara de Coimbra no sentido de construir uma infraestrutura aeroportuária a sul de Coimbra, de modo a servir diretamente esta e outras cidades como “Fátima, Figueira da Foz e Leiria, entre outras”, e para “ajudar o Governo a desenvolver um país mais coeso foi apresentado ao ministro da tutela [Pedro Nuno Santos] no início deste ano”, disse à agência Lusa Manuel Machado.

A apresentação foi feita no Ministério das Infraestruturas e da Habitação, em Lisboa, pela Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra, porque esta entidade, que agrega 19 municípios, “também está empenhada neste assunto [criação de um aeroporto], que é um desígnio estratégico para a região Centro”, sublinhou.

A Câmara de Coimbra promoveu o estudo, pois é fundamental que a região disponha de “uma infraestrutura aeroportuária para voos nacionais e internacionais” e entendeu que deveria “dar um contributo ao país e ao Governo” para criar uma alternativa à Base Aérea de Monte Real, no concelho de Leiria, cuja abertura ao tráfego civil é reivindicada “desde 1962”.

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Presidente da SATA demitiu-se por falta de “condições” para continuar o “projeto proposto”

A Comissão de Trabalhadores da companhia aérea portuguesa Azores...

FAP terminou missão de patrulhamento no Golfo da Guiné em cooperação com países lusófonos

Os militares Força Aérea Portuguesa (FAP) da Esquadra 601...

Qatar Airways reforça Luanda que terá quatro voos semanais e alarga rede para Kinshasa

A Qatar Airways prossegue a expansão da sua rede...