Portugal autorizado pela CE a auxiliar o Grupo SATA em até 267,5 milhões de euros

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A Comissão Europeia aprovou nesta sexta-feira, dia 30 de abril, a concessão, pelo Governo Regional dos Açores, de compensações financeiras no valor de 12 milhões de euros à SATA, a que acrescem ainda 122,5 milhões de euros em apoio à liquidez.

“A Comissão Europeia aprovou 12 milhões de euros em apoio português a favor da SATA Air Açores, como compensação pelos danos sofridos em consequência direta das restrições de viagem impostas devido ao surto do coronavírus”, lê-se em comunicado publicado pelo executivo comunitário.

A Comissão refere ainda que foram também aprovados “até 255,5 milhões de euros em apoio à liquidez”, em referência a dois pacotes distintos de auxílios estatais: um pacote de 133 milhões de euros, já aprovado pelo executivo comunitário em agosto de 2020, e outro no valor de 122,5 milhões de euros, solicitado pelo Governo português, com o “objetivo de fornecer às companhias aéreas recursos suficientes para fazer face às suas necessidades urgentes e imediatas de liquidez até ao final de 21 de Novembro de 2021”.

No que se refere à aprovação dos 12 milhões de euros a fundo perdido, o executivo comunitário destaca que, ao abrigo do Tratado sobre o Funcionamento da UE, a Comissão “pode aprovar auxílios estatais” para setores que sofreram danos “causados por circunstâncias excecionais”.

Tendo em conta que a atual pandemia de covid-19 é uma “circunstância excecional”, o executivo destaca que “verificou, em particular, que a medida portuguesa irá compensar os danos diretamente relacionados com o surto de coronavírus” provocados ao grupo SATA.

“A Comissão constatou igualmente que a medida é proporcional, uma vez que a compensação não excede o que é necessário para reparar os danos. Nesta base, a Comissão concluiu que a medida portuguesa está de acordo com as regras da UE em matéria de auxílios estatais”, frisa.

No referente aos 122,5 milhões de euros em apoio à liquidez, que tomarão a forma de “garantia pública de empréstimos temporários ou empréstimos públicos”, o executivo destaca que os fundos irão servir para permitir que a SATA continue a “fornecer serviços essenciais, incluindo rotas sujeitas a ‘obrigações de serviço público, e serviços de interesse económico geral para os aeroportos locais, assegurando a conectividade da região ultraperiférica dos Açores”.

 

Aumentos de capital do Grupo SATA continuam em investigação por parte da Comissão Europeia

Abordando ainda o procedimento aberto pela Comissão Europeia para Portugal provar que os três aumentos de capital recentes na transportadora açoriana não foram ajudas de Estado, o executivo sublinha que essa “investigação” foi “prolongada”.

Segundo o comunicado, a Comissão continua a ter dúvidas relativamente à “proporcionalidade do auxílio de restruturação, dado que a contribuição da SATA para os custos da sua reestruturação é inferior a 50% e que, por conseguinte, o auxílio à reestruturação não parece estar limitado a um mínimo”.

Além disso, o executivo diz também ter reticências quanto ao “período de tempo do plano de restruturação” e ao “cumprimento do princípio ‘uma vez, última vez’, segundo o qual empresas com dificuldades financeiras podem receber auxílios para a reestruturação apenas uma vez durante um período de 10 anos”.

Em comunicado, a vice-presidente da Comissão Margrethe Vestager considerou que as medidas aprovadas nesta sexta-feira, no valor de quase 270 milhões de euros, permitem que Portugal preste apoio imediato à SATA Air Açores e à Azores Airlines para assegurar a continuidade das ligações aéreas dentro e para os Açores”.

“Ao mesmo tempo, prolongámos a investigação em curso relativa ao cumprimento das medidas passadas a favor das companhias aéreas. Neste contexto, manteremos o contacto estreito com as autoridades portuguesas”, afirma a comissária.

As duas transportadoras da SATA (a SATA Air Açores, que viaja dentro do arquipélago, e a Azores Airlines) fecharam o terceiro trimestre de 2020 com prejuízos de 61 milhões de euros, valor superior aos 38,6 milhões negativos do período homólogo de 2019.

A operação da SATA em 2020, à imagem da globalidade das transportadoras aéreas, foi fortemente condicionada pela pandemia de covid-19, tendo a empresa parado a operação durante a maior parte do segundo trimestre do ano.

Todavia, os prejuízos globais do grupo açoriano haviam já sido de 53 milhões de euros em 2019, valor em linha com a perda registada em 2018.

A SATA pediu recentemente um auxílio estatal de 133 milhões de euros, operação aprovada por Bruxelas e que segue em paralelo com o plano de reestruturação.

No entanto, a Comissão Europeia abriu um procedimento para Portugal provar que os três aumentos de capital recentes na transportadora açoriana não foram ajudas do Estado.

1 COMENTÁRIO

  1. Volta a comentar-se que a foto de abertura está ultrapassada. Mas a culpa não é do site. Numa medida de gestão que aparentemente passa despercebida a todos os decisores, a SATA decide repintar 3 aviões NEO, entre os quais o da foto, porque sim. Ainda ninguém referiu que havia necessidade técnica para tal. Para além dos custos directos envolvidos, o merchandising também foi afectado (modelos de aviões, p.e.) Mas venham os milhões da UE e dos contribuintes nacionais.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TAP Air Portugal retomou rota direta entre a Venezuela e a ilha da Madeira

– Cerimónia oficial e decoração a preceito na zona...

TAP Air Portugal terá 95 voos semanais para o Brasil no mês de julho

Uma delegação da TAP Air Portugal, liderada pelo seu...

Teste de táxi aéreo elétrico pode definir novo tipo de transporte para peregrinos do Hajj, na Arábia Saudita

Num movimento histórico, a Arábia Saudita conduziu com sucesso...

Instituto Superior de Aeronáutica e Turismo de Cabo Verde instalado na ilha do Sal

A Universidade Técnica do Atlântico (UTA) apresentou publicamente na...