Presidente da TAP aponta o dedo ao Sindicato dos Pilotos e anuncia auditoria às avarias

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A companhia portuguesa TAP contratou uma auditora externa para avaliar os problemas técnicos que afetaram os aviões do grupo durante os meses do Verão, anunciou hoje, quarta-feira, dia 1 de Outubro, o presidente do Conselho de Administração da companhia aérea.

Fernando Pinto falava numa audição da comissão especializada de Economia e Obras Públicas, onde anunciou a contratação de uma auditoria aos incidentes, que foram uma das principais causas do cancelamento de voos, e que obrigaram à contratação de diversos voos a outras companhias, e nomeadamente à permanência de aviões de empresas estrangeiras no hub de Lisboa.

“A TAP não sofreu um ponto de perda na reputação técnica” com os incidentes deste verão, considera o presidente da companhia, que explicou que os cancelamentos e atrasos de voos por motivos técnicos “não têm nada a ver com a manutenção da TAP”, atribuindo antes a uma postura “mais conservadora”.

“Acho que somos mais conservadores do que as outras empresas e acho isso bom”, declarou, adiantando que a TAP tem, “por princípio, dar plena liberdade ao comandante em aspetos de segurança”.

O presidente da TAP disse aos deputados que vários representantes de outras companhias lhe manifestaram estranheza face ao “ataque de que a companhia foi alvo” e, neste aspeto, apontou o dedo ao Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), escreve a agência noticiosa portuguesa Lusa, num despacho distribuído na manhã de hoje.

“O sindicato utilizou este período em que não só marcou um dia de greve como também foi à frente a colocar vários pontos negativos e isso chamou a atenção dos órgãos de comunicação social”, declarou.

Na sua intervenção inicial, Fernando Pinto admitiu um número de cancelamentos de voo “fora do normal”, explicando que 227 dos cancelamentos em Julho e Agosto foram por falta de tripulação e 120 por razões técnicas. “56% dos problemas de cancelamentos por razões técnicas foram na frota PGA, que é muito mais pequena do que a frota da TAP”, declarou o presidente da companhia aérea nacional, que está a ser ouvido na comissão de Economia e Obras Públicas para explicar as perturbações que afetaram a operação de Verão.

Fernando Pinto explicou que no verão “houve um aumento de eventos técnicos, sobretudo na frota A330”, a que se juntou o atraso na entrega de seis novos aviões, na formação de pilotos e a greve de zelo dos pilotos.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TAP Air Portugal retomou rota direta entre a Venezuela e a ilha da Madeira

– Cerimónia oficial e decoração a preceito na zona...

TAP Air Portugal terá 95 voos semanais para o Brasil no mês de julho

Uma delegação da TAP Air Portugal, liderada pelo seu...

Teste de táxi aéreo elétrico pode definir novo tipo de transporte para peregrinos do Hajj, na Arábia Saudita

Num movimento histórico, a Arábia Saudita conduziu com sucesso...