Ramiro Sequeira, administrador não executivo da TAP, deixou a companhia

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

Ramiro Sequeira deixou as funções na TAP no final do ano passado, onde era administrador não executivo, segundo uma comunicação interna a que a agência portuguesa de notícias ‘Lusa’ teve acesso nesta quinta-feira, dia 4 de janeiro.

“O administrador não executivo Ramiro Sequeira cessará as suas funções na companhia no final deste ano”, lê-se na nota, na qual a TAP também agradece a Ramiro Sequeira “todo o seu contributo, dedicação e compromisso nas diferentes funções que desempenhou, especialmente durante um período difícil para a empresa”.

“O seu profissionalismo e competência foram fundamentais para enfrentar os desafios e dificuldades decorrentes da pandemia, e em que a sobrevivência da TAP esteve em risco”, refere também a comunicação interna.

Ramiro Sequeira, que desempenhava funções de administrador não executivo, integrou a TAP em agosto de 2018, vindo da concorrente espanhola Iberia, para assumir o cargo de administrador operacional (COO), na Comissão Executiva liderada por Antonoaldo Neves.

Ao jornal da TAP, aquando da chegada à empresa, Ramiro Sequeira apontou como prioridades ajudar a melhorar os índices de pontualidade, o controlo de custos e a produtividade.

“Entendo que a TAP está num processo de transformação e esta palavra por si mesma tem dois lados – o lado da mudança/incerteza, que deve ser gerido com assertividade e diálogo, e o lado das oportunidades/crescimento, que deve ser vivido com determinação e positivismo. Costumo dizer que os desafios se devem enfrentar com BEM: Bom Senso, Esforço e Metodologia”, afirmou, na ocasião.

Com o regresso da companhia aérea ao controlo do Estado, em 2020, e a consequente saída de Antonoaldo Neves, Ramiro Sequeira assumiu a presidência executiva interinamente, durante 10 meses, até à chegada de Christine Ourmières-Widener, em meados de 2021.

No seguimento da polémica sobre a indemnização de meio milhão de euros paga à ex-administradora e ex-secretária de Estado Alexandra Reis, o Governo decidiu exonerar por justa causa Ourmières-Widener e o então presidente do Conselho de Administração, Manuel Beja, que foram substituídos, em abril, por Luís Rodrigues.

Segundo o jornal ‘Expresso’, Ramiro Sequeira foi convidado a sair da Comissão Executiva, aquando da entrada de Luís Rodrigues no Conselho de Administração da TAP.

Ramiro Sequeira era o último sobrevivente da equipa executiva original da gestora francesa, eleita em assembleia-geral em 24 de junho de 2021, que era composta também por Alexandra Reis (saiu em fevereiro de 2022 e entrou para a equipa Sofia Lufinha em julho), Sílvia Mosquera (renunciou em março e saiu em junho) e João Weber Gameiro (renunciou em outubro de 2021 e foi substituído por Gonçalo Pires).

O jornal digital de economia ‘ECO’ noticiou nesta quinta-feira, dia 4 de janeiro, que Ramiro Sequeira renunciou ao cargo que ocupou até final de 2023, ao fim de cinco anos e seis meses. A renúncia ao cargo implica a saída sem direito a indemnização, acrescenta o ‘ECO’.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

American encomenda 260 aviões à Airbus, Boeing e Embraer com mais 193 opções de compra

A American Airlines anunciou nesta segunda-feira, dia 4 de...

Portway e SINTAC assinam acordo de empresa

A Portway Handling de Portugal assinou com o SINTAC...

Portugueses viajam mais e escolhem a Madeira e Cabo Verde para as férias da Páscoa

Os portugueses estão a comprar mais viagens neste início...

JetBlue desiste da compra da Spirit, um projeto que não tinha o acordo das autoridades reguladoras

A companhia aérea norte-americana JetBlue, que foi fundada pelo...