Redução de voos do exterior na ilha Terceira (Açores) criticada pela oposição regional

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A ilha Terceira, na Região Autónoma dos Açores, terá menos voos do exterior na próxima temporada de Verão, com redução de cinco voos semanais, sendo três de Lisboa e dois de Londres, comparativamente com o movimento registado no Verão de 2022.

A questão está a provocar protestos, nomeadamente do maior partido político da oposição regional, o Partido Socialista (PS), que nesta semana acusou o Governo Regional dos Açores (constituído por uma coligação de três partidos – PSD/CDS-PP/PPM) de “incapacidade e ausência de estratégia”.

“Depois da redução dos dois voos semanais que ligavam Londres à Terceira no período do verão IATA, operados pela Ryanair e pela British Airways, não param as más notícias para o setor turístico, com a Ryanair a reduzir de sete para quatro as frequências semanais na rota Lisboa/Terceira, em contraciclo com a estratégia desta companhia que anunciou um aumento generalizado do número de rotas e de voos em Portugal. A ilha Terceira perdeu cinco voos semanais”, avançou o PS/Terceira, em comunicado de imprensa.

Para os socialistas terceirenses, que já tinham alertado para o fim das ligações aéreas com Londres (Reino Unido) em dezembro, esta redução de voos é “um resultado claro e inequívoco da incapacidade e ausência de estratégia do Governo dos Açores”.

“Na região, apenas a ilha Terceira perde voos, o que numa época em que os custos disparam faz-nos temer pela sustentabilidade de empresas ligadas ao turismo, que tendo feito os seus investimentos veem agora colocada em causa a sua capacidade de captarem clientes”, salientaram.

O PS/Terceira criticou ainda a “postura centralista” da companhia aérea açoriana Azores Airlines, por ter anunciado uma ligação entre Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, e Bilbau (Espanha), “quando o mercado espanhol estava estrategicamente definido como o mercado de expansão do turismo na ilha Terceira”.

Os socialistas terceirenses alegaram que a Terceira está a ser “deixada para trás”, exigindo que o executivo açoriano “tenha outra atitude, mais respeitosa, para com a ilha” e que assegure “o desenvolvimento económico e a sustentabilidade do seu tecido económico e social”.

Os dirigentes do PS acusaram o Governo Regional de fazer “tábua rasa daquilo que costumavam dizer as forças políticas que o suportam”.

“Seria de esperar dos responsáveis políticos terceirenses dos partidos que suportam o Governo outra ação em defesa dos interesses da ilha Terceira, ao invés, reina um total silêncio e inação, sobretudo, quando tanto prometeram aos terceirenses em campanha eleitoral”, remataram.

Em dezembro, na sequência dos alertas do PS para o fim das ligações diretas entre Terceira e Londres, o executivo açoriano avançou, em comunicado de imprensa, que 2022 tinha sido o “melhor de sempre” em termos de tráfego de passageiros na Aerogare Civil das Lajes, na ilha Terceira.

Na altura, o vice-presidente do Governo Regional, Artur Lima, que tutela a Aerogare das Lajes, revelou que até 30 de novembro de 2022, tinham passado pela ilha Terceira “803.783 passageiros”.

 

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Azores Airlines inicia novas rotas nacionais e internacionais no próximo mês de junho

A companhia aérea portuguesa Azores Airlines estreia, a partir...

Aumento para 45 movimentos/hora no atual Aeroporto de Lisboa requer estudo, esclarece o Governo

O aumento de capacidade do Aeroporto Humberto Delgado, em...