Revista de bordo da LAM eleita a melhor do continente africano

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A revista ‘Índico’ da LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, foi eleita a ‘Melhor Revista de Bordo da Região de África’, nos ‘World Travel Awards’ (WTA) deste ano, cujos resultados foram divulgados nesta segunda-feira, dia 9 de novembro pela organização do evento, que este ano decorreu de forma virtual.

A distinção resulta da obtenção do maior número de votos dos leitores, maioritariamente passageiros, clientes, profissionais e especialistas dos sectores de aviação e turismo.

A propósito da conquista do prémio, o diretor-geral da LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, João Carlos Pó Jorge, expressou satisfação pelo feito e gratidão a todos os apreciadores da revista e utentes dos serviços da companhia.

“Um feito desta natureza, mostra o quão é vital a estabilidade que os acionistas conferem à companhia, sendo esse factor a força motriz para os profissionais darem de si o melhor que podem à empresa. A todos, incluindo os parceiros do mercado e outras partes interessadas, particularmente o público que tanto tem feito pela LAM, expressamos a nossa imensa gratidão.”

A revista ‘Índico’ foi criada em 1988 e é a mais antiga revista temática de Moçambique. Com a pertinência de se manter atual, assim como acompanhar as tendências e dinâmicas da indústria de aviação civil, incluindo a necessidade de se destacar nos factores de diferenciação, aposta em projectos editoriais inovadores, estando atualmente na quarta série, produzida pela empresa ‘EXECUTIVE Moçambique’. Já no ano passado, a revista tinha sido selecionada pela WTA para estar na shortlist das melhores revistas de bordo do continente africano. No território nacional, a revista já foi distinguida como ‘Melhor Parceiro de Turismo’, uma iniciativa da AVITUM – Associação de Agentes de Viagens e Operadores Turísticos de Moçambique, em 2013.

A ‘Índico’ é tida, igualmente, “como referência no domínio da educação, em virtude do uso dos seus artigos para diversos estudos, além de ser um meio de promoção do diálogo cultural, pelo facto dos seus textos serem publicados em português e inglês, o que alarga o âmbito de divulgação e compreensão dos aspectos abordados, privilegiando informações sobre Moçambique, ainda que se debruce sobre outros destinos do mundo”, destaca um comunicado distribuído nesta segunda-feira, em Maputo, pela companhia aérea de bandeira moçambicana.

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Maioria parlamentar chumba comissão de inquérito à privatização da ANA – Aeroportos de Portugal

Os partidos PSD, CDS e PS manifestaram-se nesta terça-feira,...

Bestfly decide suspender toda a operação da TICV na República de Cabo Verde

 A companhia Transportes Interilhas de Cabo Verde (TICV) foi...

Base Aérea das Lajes não pode ser “uma base adormecida”, alerta governante dos Açores

O vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima,...