Salários dos trabalhadores da ANA aumentam 2,7% em 2015

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A administração da ANA – Aeroportos de Portugal chegou a acordo com os sindicatos para assinarem um Acordo Empresa para os próximos dois anos, confirmou ao ‘Negócios’, Jorge Ponce Leão, presidente da empresa.

Depois do novo modelo de regulação, a ANA chegou a entendimento para assinar o novo Acordo Empresa para os próximos dois anos, “esta era a segunda peça considerada importante para a cultura da empresa que nos faltava”, adiantou Jorge Ponce Leão, em declarações ao ‘Negócios’.

O presidente da ANA admite que nenhum entendimento é fácil, até porque teve que chegar a acordo com quatro sindicatos, mas admite que foi “persistência para encontrar o caminho”.

O novo Acordo Empresa, que vigorará para os próximos dois anos, “é um fortíssimo estimulo à qualificação e ao mérito”, disse o presidente da ANA, tendo sido introduzido mecanismos para aumentar a produtividade.

A ANA introduziu uma nova fórmula remuneratória, com base numa componente fixa e outra variável. “Para o próximo ano propusemos um aumento de 1,5% na componente variável e 1,2% na componente variável, com base nos resultados obtidos este anos”, detalhou o presidente da gestora de aeroportos.

Os trabalhadores da ANA receberão este aumento, com retroactivos a partir de Outubro, uma vez que a expectativa da empresa era que o acordo tivesse sido assinado em Setembro.

Quanto a 2016, “haverá o mesmo aumento da remuneração fixa e na variável dependerá dos resultados obtidos”, adiantou Ponce Leão.

A ANA deixou de ser uma empresa pública em Setembro de 2013, tendo passado para as mãos da Vinci. Como os trabalhadores tinham sido penalizados pelos cortes afectos à função pública e o processo desde a escolha da Vinci, vencedora da privatização, até à efectivação do contrato demorou mais do que o previsto, “atribuímos um prémio de 1,68% pelas perdas verificadas”.

Jorge Ponce Leão considera que este “é um acordo bastante completo” e que para a empresa vai essencialmente “melhorar a sua produtividade”, uma vez que os trabalhadores dos aeroportos aceitaram aumentar mais meia hora no seu dia de trabalho, em 2015 e mais uma hora em 2016.

“Apesar deste aumento da carga horária, estamos também a remunerar os trabalhadores pela performance e isso é um incentivo”, adiantou o responsável.

A Vinci tem previsto um investimento de 276 milhões de euros, para o período de 2014 a 2018. Do investimento total, 165,3 milhões será destinado aos terminais em terra, 99,6 milhões ao lado operacional e capacidade e por fim 11,1 milhões de euros à área denominada não aviação.

 

  • Matéria publicada no dia 19 de Dezembro de 2014 pelo serviço online do jornal de economia ‘Negócios’ da autoria da jornalista Ana Torres Pereira.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TAP Air Portugal retomou rota direta entre a Venezuela e a ilha da Madeira

– Cerimónia oficial e decoração a preceito na zona...

TAP Air Portugal terá 95 voos semanais para o Brasil no mês de julho

Uma delegação da TAP Air Portugal, liderada pelo seu...

Teste de táxi aéreo elétrico pode definir novo tipo de transporte para peregrinos do Hajj, na Arábia Saudita

Num movimento histórico, a Arábia Saudita conduziu com sucesso...

Instituto Superior de Aeronáutica e Turismo de Cabo Verde instalado na ilha do Sal

A Universidade Técnica do Atlântico (UTA) apresentou publicamente na...