SAS chega a acordo com os sindicatos de pilotos que já suspenderam a greve

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A SAS Scandinavian Airlines e os sindicatos de pilotos chegaram a um acordo nesta segunda-feira, dia 18 de julho, após 15 dias de greve, que acrescentaram mais alguns milhões de prejuízos na já debilitadas contas da companhia aérea de bandeira dos três países da Escandinávia – Dinamarca, Noruega e Suécia.

As partes acordaram em novos acordos de negociação coletiva de 5,5 anos e os voos operados pela SAS Scandinavian Airlines serão retomados de acordo com o seu programa de tráfego regular o mais rapidamente possível, anunciaram as partes envolvidas.

“Tenho o prazer de informar que chegámos agora a um acordo com os quatro sindicatos de pilotos para a SAS Scandinavian Airlines e a greve terminou. Finalmente, podemos retomar as operações normais e voar com os nossos clientes nas suas tão desejadas férias de Verão. Lamento profundamente que tantos dos nossos passageiros tenham sido afectados por esta greve”, disse Anko van der Werff, o executivo holandês que lidera a empresa desde abril de 2021.

Os acordos de 5,5 anos entre a SAS e os sindicatos de pilotos da companhia são um elemento chave do plano abrangente de transformação empresarial da companhia, denominado ‘SAS Forward’, uma vez que proporciona a estabilidade e previsibilidade exigidas por potenciais investidores.

Os acordos implicam uma maior produtividade para os pilotos da SAS e uma maior flexibilidade na produção sazonal. Os termos e condições dos acordos também produzem um custo unitário mais baixo para os pilotos.

Além disso, como parte do acordo entre os sindicatos de pilotos e a SAS Scandinavian Airlines, vários litígios pendentes anteriormente iniciados pelos sindicatos de pilotos e/ou pilotos individuais contra a companhia serão retirados

A SAS comprometeu-se ainda a readmitir, e posteriormente a contratar a tempo inteiro, 450 pilotos, de acordo com o crescimento das operações de voo até 2024.

Com estes acordos de trabalho em vigor, a SAS poderá agora prosseguir com o seu processo para assegurar o financiamento para apoiar as operações em curso da empresa – que espera finalizar dentro das próximas semanas – ao longo do seu processo de reestruturação financeira voluntária.

“Com estes acordos em vigor, os pilotos estão a fazer a sua parte nesta difícil situação. Prosseguimos agora com o importante trabalho de progresso do nosso plano de transformação ‘SAS Forward’ e de construção de uma SAS forte e competitiva para as gerações vindouras, com o apoio dos nossos sindicatos de pilotos e de todas as outras partes interessadas. A greve tem sido uma situação difícil para os nossos clientes, para os nossos empregados, e para a nossa empresa como um todo. Gostaria de estender a minha sincera gratidão a todos os meus colegas da SAS que trabalharam incansavelmente nestas últimas semanas para ajudar os nossos clientes”, conclui Anko van der Werff, num comunicado à imprensa.

 

Os acordos entre a SAS e os sindicatos de pilotos escandinavos da SAS estão sujeitos à aprovação pelos membros dos quatro sindicatos e, uma vez que a SAS está actualmente a sofrer uma reestruturação financeira voluntária nos EUA, os acordos finais estão também sujeitos à aprovação por um tribunal federal dos EUA (‘Capítulo 11’).  A empresa espera receber as aprovações necessárias dentro das próximas semanas.

O efeito do impacto financeiro da greve dos pilotos deverá exceder os 1,5 mil milhões de coroas suecas (cerca de 145 milhões de dólares). A paralisação provocou o cancelamento de 3.700 voos e afetou cerca de 380.000 passageiros.

 

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TICV recebe Bombardier Dash 8 Q300 para repor ligações interilhas em Cabo Verde

A companhia TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde...

GOL programa início dos voos entre Brasília e Bogotá (Colômbia) para 27 de outubro

A companhia brasileira GOL Linhas Aéreas vai ampliar as...