SEF critica ANA em comunicado sobre a situação no Aeroporto de Faro

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) voltou a criticar a ANA – Aeroportos de Portugal por manter a fronteira nas chegadas no Aeroporto de Faro, no Algarve, sul de Portugal, na zona de inverno.

“O controlo de fronteira no Aeroporto de Faro continua a funcionar na chamada ‘zona de inverno’, uma zona exígua face ao crescente número de passageiros após a abertura do corredor aéreo com o Reino Unido”, disse o SEF em comunicado divulgado este domingo, 30 de agosto.

O serviço anunciou que o aeroporto de Faro já conta com oito portões eletrónicos (e-gates) na zona das chegadas que servem para controlar passaportes. Os portões foram instalados neste sábado, dia 29 de agosto, depois das longas filas verificadas na semana passada no aeroporto da capital algarvia. No espaço de 24 horas, cerca de mil passageiros utilizaram estes portões.

O SEF também anunciou que o seu contingente no aeroporto de Faro foi aumentado em 12 inspetores, e que vai ser reforçado com mais cinco inspetores a partir de terça-feira, dia 1 de setembro.

Estes portões servem para controlar os passaportes em “menos de 20 segundos”, fazendo a “autenticação do documento de viagem através de um sistema de reconhecimento facial que compara, no momento, o rosto do passageiro com a fotografia registada no chip do documento”.

O SEF confirmou a situação apontando que teve lugar a 26 de agosto quando aterraram no aeroporto de Faro no espaço de uma hora “oito voos, o que correspondeu a mais de 800 passageiros controlados na fronteira”.

A 28 de agosto, o SEF já tinha criticado a decisão da ANA de manter o controlo de fronteira na zona de inverno e hoje voltou a deixar críticas.

As novas e-gates têm um sistema operativo mais rápido e funcional, que permite processar de forma mais célere a leitura dos passaportes com dados biométricos. O sistema atual (RAPID) realiza este processo em apenas one step e todos os procedimentos são realizados numa única paragem do passageiro. Depois de validado o processo de identificação, que inclui uma pesquisa em bases de dados internacionais, o passageiro é autorizado a prosseguir viagem.

Os portões operam com o sistema operativo Rapid desenvolvido pela empresa portuguesa ‘Vision Box’, e processam de “forma mais célere a leitura dos passaportes com dados biométricos”. “Depois de validado o processo de identificação, que inclui uma pesquisa em bases de dados internacionais, o passageiro é autorizado a prosseguir viagem”.

Nas últimas 48 horas, o SEF controlou no aeroporto de Faro “mais de 22 mil passageiros e 103 voos, sem qualquer registo de reclamações relativamente a tempos de espera no controlo documental”, informa o comunicado do SEF.

Depois de Portugal retirar o Reino Unido da lista negra de viagens, o número de viajantes com origem no Reino Unido disparou no aeroporto de Faro, o que levou a que houvesse muitas filas esta semana na zona de chegadas, como foi denunciado pelo deputado do PSD, Cristóvão Norte, na quinta-feira, dia 27 de agosto. “O SEF a funcionar com dois colaboradores para esta torrente de gente! Quisemos tanto o corredor turístico aberto para isto?”, escreveu o deputado eleito por Faro nas redes sociais.

O ‘Jornal Económico’ contactou a ANA sobre as críticas do SEF, mas não recebeu resposta às questões colocadas.

 

  • Artigo publicado na edição online do Jornal Económico a 30 de agosto de 2020

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica