“TAP é a peça que falta entregar”, comentam opositores à construção do Aeroporto no Montijo

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A Plataforma Cívica contra a construção do novo aeroporto de Lisboa na Base Aérea do Montijo defendeu que a privatização da TAP é a peça que faltava para entregar a capitais estrangeiros toda a aviação civil portuguesa.

“A privatização da TAP é, na prática, a peça que faltava para entregar, aos interesses dos grandes capitais estrangeiros, todo o setor da aviação civil”, refere um comunicado divulgado nesta quinta-feira, dia 28 de setembro, pela Plataforma Cívica, após o anúncio do Governo de que pretende privatizar pelo menos 51% da empresa.

“Esta possível privatização é inseparável da privatização da ANA Aeroportos, S. A., levada a cabo em 2012 com as consequências que já hoje confirmam os receios à altura”, acrescenta o comunicado, lembrando que a Plataforma Cívica já tinha chamado a atenção para a “inevitável ligação que a TAP tem com o Novo Aeroporto de Lisboa”.

O ministro das Finanças, Fernando Medina, revelou hoje a intenção do Governo de privatizar, pelo menos, 51% da TAP, mas deixou claro que a privatização até poderá ser de 100% se o executivo entender que essa é a melhor forma de salvaguardar os interesses do país.

O movimento que contesta a construção do novo aeroporto do Montijo e que se tem manifestado várias vezes a favor de uma nova infraestrutura aeroportuária de raiz no campo de Tiro de Alcochete, entende, pelo contrário, que a melhor solução passa pela manutenção da TAP na esfera pública. E lembra que “o hub da TAP e o hub de Lisboa/Portugal não são separáveis em qualquer abordagem séria que considere os interesses dos portugueses, do país e do seu desenvolvimento”.

A `Plataforma Cívica Aeroporto na BA6 do Montijo, Não´, considera ainda que o Governo “não explica por que razão estando a TAP em visível recuperação, económica, financeira e operacional, a mesma tenha de ser privatizada perdendo o estado português o controle sobre a última empresa estratégica do país”.

“Aparentemente, parece tratar-se de um `porque sim´. Se dá lucro vende-se. Não importam as consequências”, lê-se no documento.

A Plataforma Cívica considera ainda que, com o anúncio feito nesta quinta-feira pelo Governo, “fica aberto o caminho para mais facilmente se satisfazer os interesses das multinacionais e desvalorizar a necessidade de um novo, moderno e consistente Novo Aeroporto de Lisboa”. “A defesa de um Novo Aeroporto de Lisboa e do seu hub nacional não se defende vendendo a TAP. Pelo contrário, a luta pela defesa do Novo Aeroporto de Lisboa fica mais forte com a TAP mantida no domínio do estado português”, conclui a `Plataforma Cívica Aeroporto na BA6 do Montijo, Não´.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Chefe do Governo de Cabo Verde diz que avião anunciado há 12 dias “vai chegar”

O primeiro-ministro cabo-verdiano disse nesta terça-feira, dia 16 de...