United Airlines quer dispensar 2.850 pilotos até ao final de 2020

A United Airlines também ameaça despedir pilotos nos Estados Unidos da América, caso não haja um novo financiamento federal para as companhias de voos comerciais nas próximas semanas. Depois da American (LINK notícia relacionada) é a gora a vez da United que se diz disposta a dispensar 2.850 dos seus 13.000 pilotos até ao final do corrente ano, já que a procura por parte de passageiros permanece baixa e um novo pacote de financiamento governamental tarda a ser decidido pela Administração Federal, em Washington.

A United, com sede em Chicago, disse num memorando de 27 de agosto aos pilotos que, se não houver assistência governamental adicional além das disposições da Lei CARES, “a nossa companhia aérea precisará se tornar muito menor”.

Em março, o governo dos Estados Unidos aprovou o pacote de ajuda financeira de quase dois trilhões (dois milhões de biliões na Europa, dois mil biliões no Brasil) de dólares, em resposta à crise do coronavírus. Nele, a indústria de transporte aéreo deveria receber quase 60 mil milhões de dólares (bilhões no Brasil) em doações e empréstimos para ajudar a manter o setor da aviação.

Em troca, as companhias aéreas não irão fazer despedimentos antes de 1 de outubro. Com esse prazo se aproximando rapidamente, as companhias aéreas, sindicatos e outros atores da indústria pediram ao governo dos EUA para estender o programa e permitir mais tempo para que a demanda se recupere novamente.

“Caso o Programa de Apoio à Folha de Pagamento não seja estendido, lamentavelmente precisaremos dispensar involuntariamente até 2.850 pilotos em 2020”, diz a empresa.

A companhia aérea informa na nota que enviou Notificações de Reajuste e Retreinamento do Trabalhador (WARN) para centenas de pilotos. A lei dos EUA exige que os empregadores enviem esses avisos 60 dias antes da data em que os trabalhadores podem perder os seus empregos. A United também antecipou a data de folga de alguns tripulantes da cabina para o final de outubro, a partir do final de novembro.

A Associação Norte-Americana de Pilotos de Linha Aérea (ALPA) classificou as dispensas de “notícias devastadoras” para os pilotos da United.

“Devido à expiração das proteções da folha de pagamento da Lei CARES, as primeiras 1.747 licenças de piloto ocorrerão em 1 de outubro, com 572 licenças adicionais programadas para 30 de outubro e 531 em 30 de novembro”, disse a ALPA em 27 de agosto.

“Embora outras companhias aéreas tenham optado por reduzir a mão de obra por meios voluntários, é trágico que a United tenha limitado essas opções para nossos pilotos e, em vez disso, tenha optado por dispensar mais pilotos do que nunca em nossa história”, dizem os representantes da ALPA na United.

Em sua nota de 27 de agosto, a companhia aérea diz que o número de dispensas é “baseado na atual demanda de viagens para o resto do ano e nossa programação de voos antecipada, que continua a ser fluida com o ressurgimento da covid-19 em regiões dos EUA ”. Isso significa que, se a recuperação continuar a demorar, mais licenças podem ser possíveis.

Em 31 de julho, a United disse que planeava dispensar pelo menos um terço dos pilotos, ou 3.900 tripulantes. Agora o número baixou para 2.250 demissões.

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica