Airbus envolvida em projeto de hidrogénio para a aviação na Suécia e na Noruega

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A Airbus, a Avinor, a SAS, a Swedavia e a Vattenfall assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para investigar a viabilidade de uma infraestrutura de hidrogénio em aeroportos na Suécia e na Noruega, na Escandiávia, no Norte da Europa, anunciaram nesta quarta-feira, dia 31 de janeiro, as cinco empresas.

Esta colaboração proporcionará uma melhor compreensão dos conceitos e operações de aeronaves a hidrogénio, bem como das necessidades de abastecimento, infraestruturas e reabastecimento nos aeroportos, a fim de contribuir para o desenvolvimento deste ecossistema de aviação a hidrogénio em ambos os países. O trabalho também identificará os caminhos para selecionar quais aeroportos serão os primeiros a serem transformados para operar aeronaves a hidrogénio em ambos os países, bem como o enquadramento regulamentar correspondente.

Esta é a primeira vez que um estudo de viabilidade deste tipo abrange dois países e mais de 50 aeroportos. Reflete a ambição partilhada dos parceiros de utilizar a sua experiência para apoiar a descarbonização da indústria da aviação e atingir zero emissões líquidas de carbono até 2050. “O hidrogénio destaca-se como um facilitador chave à medida que pioneiramos um futuro sustentável para a aviação”, disse Guillaume Faury, CEO da Airbus. “Noruega e Suécia estão entre as regiões mais exigentes para a aviação e têm grande potencial para a produção de hidrogénio a partir de fontes de energia renovável. Estou muito satisfeito por entrar nesta colaboração com parceiros totalmente empenhados em dar passos significativos rumo à descarbonização do setor aeroespacial. Encaixa-se perfeitamente com a nossa estratégia de implementar ecossistemas de aviação a hidrogénio nas partes mais adequadas do mundo.”

Abraham Foss, CEO da Avinor, afirmou: “O hidrogénio está a emergir como um portador chave de energia na aviação futura sem emissões fósseis. Como proprietária e operadora de 43 aeroportos na Noruega, a Avinor tem trabalhado na sustentabilidade há muitos anos e tem-se destacado como uma força motriz e facilitadora para a transição verde da aviação norueguesa. O nosso diálogo com a Airbus sobre a descarbonização da aviação remonta a vários anos, e estamos muito felizes por anunciar esta colaboração junto com os nossos bons vizinhos na Suécia. A Noruega, assim como a Suécia, está bem posicionada para ser uma das primeiras a adotar aeronaves a hidrogénio. Esperamos contribuir com a nossa experiência e infraestrutura para impulsionar este importante trabalho.”

“À medida que o mundo dá passos positivos em direção a um futuro mais sustentável, o compromisso da SAS é garantir que também as gerações futuras possam desfrutar dos benefícios da conectividade global sem interrupções. Ao colaborarmos com alguns dos jogadores mais fortes e inovadores da indústria, assumimos a responsabilidade de impulsionar a transição para alcançar emissões líquidas zero. Uma jornada que importa não apenas para a SAS, mas para toda a indústria da aviação”, disse Anko van der Werff, presidente e CEO da SAS.

“Estamos muito entusiasmados por fazer parte de uma parceria mais ampla sobre o papel do hidrogénio na aviação, juntamente com a Airbus, a Avinor, a SAS e a Vattenfall. A Swedavia, a Avinor e a SAS já estabeleceram colaborações bem-sucedidas na aviação livre de combustíveis fósseis, e é emocionante que a Airbus, com seu extenso conhecimento em aeronaves a hidrogénio por meio da iniciativa ZEROe, e a Vattenfall, com sua experiência em eletricidade e produção de energia, estejam se juntando a nós numa colaboração mais aprofundada. Espera-se que o hidrogénio se torne gradualmente uma parte crescente da mistura de combustíveis da indústria da aviação no futuro e, portanto, terá um efeito crescente na infraestrutura e planeamento dos nossos aeroportos. Esta parceria é um passo importante e significativo rumo à aviação livre de combustíveis fósseis na região nórdica e irá fortalecer ainda mais o papel da Swedavia como líder na aviação livre de combustíveis fósseis, ao mesmo tempo que dá mais um passo importante na transição dentro da indústria da aviação”, considerou Jonas Abrahamsson, presidente e CEO da Swedavia.

“Queremos possibilitar a descarbonização da indústria. A aviação é uma indústria difícil de descarbonizar, onde afastar-se dos combustíveis fósseis é um desafio enorme nos dias de hoje. No entanto, essa colaboração transfronteiriça demonstra a vontade de promover a mudança. Estamos ansiosos por contribuir com expertise no desenvolvimento do mercado de eletricidade, infraestrutura elétrica e produção de hidrogénio na Suécia”, disse Anna Borg, CEO da Vattenfall.

O uso de hidrogénio para alimentar aeronaves futuras não só se espera que reduza significativamente as emissões de aeronaves no ar, como também poderá ajudar a descarbonizar as atividades de transporte aéreo no solo.

Em 2020, a Airbus apresentou o primeiro conceito ZEROe com a ambição de lançar no mercado a primeira aeronave comercial a hidrogénio até 2035. O desenvolvimento das tecnologias correspondentes está agora em curso numa rede global de Investigação e Tecnologia.

A Airbus também lançou o programa “Hydrogen Hub at Airports” para impulsionar a investigação sobre requisitos de infraestrutura e operações de aeroportos com baixas emissões de carbono, em toda a cadeia de valor. Até à data, foram assinados acordos com parceiros e aeroportos em dez países, incluindo França, Alemanha, Itália, Japão, Nova Zelândia, Noruega, Singapura, Coreia do Sul, Suécia e Reino Unido.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

São Tomé e Príncipe bate em 2023 recorde de entrada de turistas no País com portugueses a liderar

A República Democrática de São Tomé e Príncipe superou...

ANAC e APA já deram aval a obras de melhoria no Aeroporto Humberto Delgado/Lisboa

Francisco Pita, administrador executivo da ANA – Aeroportos de...

Publicado o novo acordo de empresa dos tripulantes de cabina da TAP

O novo acordo de empresa, aprovado pelos tripulantes de...

ANA tem um mês para começar a negociar qualidade do serviço nos aeroportos portugueses

A Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) determinou à...