Air Macau reafirma compromisso de atender às “necessidades do Governo”

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A Air Macau reafirmou o seu compromisso de, em 2024, responder “activamente” às “necessidades do Governo da RAEM (Região Administrativa Especial de Macau) e dos residentes”, uma promessa que surge no Relatório Anual de 2023, publicado [no passado dia 31 de maio] em Boletim Oficial e assinado pelo presidente do Conselho de Administração, Wang Mingyuan. A companhia aérea de bandeira da RAEM irá seguir essa linha, concretamente, “introduzindo aeronaves de fuselagem larga, melhorando ainda mais a qualidade dos serviços e a experiência de viagem dos passageiros, esforçando-se por explorar rotas internacionais de média e longa distância, promovendo desta forma o intercâmbio e a cooperação económica e cultural entre Macau e o exterior”.

Relativamente ao ano transato, a Air Macau refere que continuou a manter um recorde de voos seguros, num total de 52.045 horas, “sem incidentes de aviação de transporte e com uma taxa de pontualidade de 74,87%”, um aumento de 1,52 pontos percentuais em relação a 2022.

A companhia operou 16.207 voos em 2023, tendo transportado 2,0532 milhões de passageiros, números correspondentes aos aumentos homólogos de 272% e 449%, respetivamente, continuando a liderar a quota de mercado do Aeroporto de Macau. As taxas de ocupação sobre os voos e os passageiros foram de 41% e 40%, respetivamente, pode ler-se.

Além disso, e após três anos de pandemia, a transportadora acrescentou três novas rotas: Singapura, Banguecoque (Aeroporto Internacional de Don Mueang) e Jacarta.

Por outro lado, continuou a desenvolver o ‘Programa de Formação de Pilotos Cadetes Locais’, tendo sido selecionados quatro formandos para este ano. Com início em 2016, o programa já tem oito anos, com a Air Macau a acreditar que ajudará a companhia a estabelecer uma “equipa sólida e estável de tripulantes”, bem como a cumprir a responsabilidade social corporativa para com a comunidade local.

Em 2023, o Grupo de Voluntários da Air Macau, que foi criado oficialmente a 3 de Setembro de 2020, organizou ainda quatro atividades de voluntariado. No total e desde que foi criado, o grupo já organizou 13 atividades, contando com a participação de 183 voluntários, beneficiando 11 instituições.

“A Companhia tem persistido na prestação de serviços de alta qualidade e na promoção contínua da inovação dos serviços”, reitera a Air Macau, acrescentando que no ano passado foi galardoada com seis prémios de marca de serviços, nomeadamente a ‘Companhia Aérea Regional de Quatro Estrelas APEX’ e a ‘Companhia Aérea de Serviços e Produtos Inovadores do Ano’ na Lista ‘Tianxuan’ de transporte para viagens aéreas da Revista ‘China Aviação Civil’.

Como este jornal já tinha noticiado, em 2023, as receitas operacionais da Air Macau registaram 3,108 mil milhões de patacas, um aumento de 250% em termos anuais, com os prejuízos líquidos a fixarem-se em 236 milhões de patacas, menos 791 milhões face ao ano anterior. Apesar da recuperação, durante o ano, a Air Macau não teve lucros a distribuir pelos acionistas.

  • Texto da autoria da jornalista Catarina Pereira, publicado no jornal de língua portuguesa ‘Tribuna de Macau, no dia 31 de maio de 2024

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Lufthansa City Airlines arranca no dia 26 de junho com voo Munique-Birmingham

A Lufthansa City Airlines, a companhia aérea mais jovem...

Bubaque, no Arquipélago dos Bijagós, terá um novo aeroporto para tráfego regional

O Governo da República da Guiné-Bissau e a ‘Royal...

Sevenair Academy vai treinar pilotos cadetes nórdicos nas suas instalações em Ponte de Sor

A Sevenair Academy, escola portuguesa de pilotos e técnicos...

Governo de Angola contrata empresa britânica para elaborar o Plano Diretor da nova ‘Aerotropolis de Luanda’

A empresa britânica ‘Foster + Partners’ foi contratada pelo...