ANA vai recuperar e gerir o Aeroporto Internacional de São Tomé

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O governo da República Democrática de São Tomé e Príncipe, na África Equatorial, anunciou na semana passada que assinou um memorando de entendimento com a ANA – Aeroportos de Portugal que “vai permitir a concretização de melhorias” na gestão do Aeroporto Internacional de São Tomé.

O executivo são-tomense confirmou que depois de um ano de negociações, a ANA vai intervir em duas fases, a primeira em trabalhos de diagnósticos da situação atual do aeroporto, passando-se depois à “concretização de soluções de melhorias”, segundo revela o comunicado do Conselho de Ministros divulgado na quinta-feira, dia 23 de julho, em São Tomé.

A assinatura deste memorando representa, mais uma ação credível do país, na perspetiva de conclusão do processo de retirada do aeroporto internacional de São Tomé e Príncipe da lista negra, respondendo, desta forma, a uma das exigências” organização internacional que tutela o tráfego aéreo, refere o comunicado do conselho de ministros.

Questionado pela agência de notícias portuguesa ‘Lusa’ sobre o memorando, o diretor da Empresa Nacional Segurança Área (ENASA), Gaudêncio Costa, disse que “foi constituída uma comissão com duas equipas que vão trabalhar no sentido de se chegar a um acordo definitivo”.

Essas equipas vão apresentar ao governo uma proposta que poderá dar lugar a assinatura de um acordo que levará a ANA a vir a assumir a exploração do nosso aeroporto”, acrescentou o responsável que considerou a ANA “uma empresa de renome e com capacidade para explorar o nosso aeroporto”.

Gaudêncio Costa não avançou uma data para se chegar a este acordo, sublinhando, apenas que “as partes vão trabalhar de forma mais célere possível”.

“Ainda sobre este memorando, importa referir que o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) já garantiu um financiamento para a reestruturação e melhoria, a curto prazo, do terminal de cargas do aeroporto internacional de São Tomé e Príncipe”, indica o executivo em comunicado.

O comunicado, sublinha ainda que ainda nesse âmbito, o Conselho de Ministros aprovou o novo Código Aeronáutico Nacional.

 

Recorde-se que os Aeroportos da República de Cabo Verde, país que também tem o português como língua oficial, passam por igual processo que, no entanto, parece estar mais atrasado. Em outubro de 2019 o Governo aprovou legislação que conduzirá à privatização dos aeroportos (LINK notícia relacionada). Em novembro de 2017 tinha sido assinado, na cidade da Praia, um protocolo entre o Governo de Cabo Verde e a ANA – Aeroportos de Portugal, para apresentação de uma proposta de modelo de gestão para os aeroportos deste país insular (LINK notícia relacionada).

A ANA – Aeroportos de Portugal detém a concessão e gestão de 10 aeroportos portugueses e integra o grupo VINCI Airports, de matriz francesa, com concessões aeroportuárias em 45 países.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Luís Rodrigues completa primeiro ano à frente da TAP marcado por lucro recorde

O presidente da TAP, Luís Rodrigues, completa neste domingo,...

Presidente da SATA demitiu-se por falta de “condições” para continuar o “projeto proposto”

A Comissão de Trabalhadores da companhia aérea portuguesa Azores...

FAP terminou missão de patrulhamento no Golfo da Guiné em cooperação com países lusófonos

Os militares Força Aérea Portuguesa (FAP) da Esquadra 601...

Qatar Airways reforça Luanda que terá quatro voos semanais e alarga rede para Kinshasa

A Qatar Airways prossegue a expansão da sua rede...