Bem-vindo, !|Sair

Avião da Transavia aterra de emergência no Aeroporto de Faro

Um Boeing 737-800 da companhia holandesa Transavia, que sobrevoava território nacional português, em viagem da Madeira para Amesterdão, na Holanda, foi escoltado por dois aviões F-16 da Força Aérea Portuguesa (FAP) até ao Aeroporto de Faro, no Algarve, sul de Portugal, devido a uma alegada avaria no sistema de pressurização de ar na aeronave.

O aparelho, matrícula PH-HZD, transportava 144 passageiros e cinco tripulantes e tinha descolado do Aeroporto da Madeira-Cristiano Ronaldo pelas 10h25 locais (mesma hora UTC) nesta segunda-feira, dia 12 de novembro. A avaria foi detectada logo após a descolagem, tendo o comandante optado por dirigir-se para Faro. Dada a situação de emergência, foi solicitado o apoio dos caças-bombardeiros da FAP que acompanharam o B737-800 da Transavia até ao aeroporto de Faro, onde pousou pelas 12h51 locais (mesma hora UTC), e de onde o aparelho descolou, cerca de uma hora depois, e prosseguiu viagem para a cidade holandesa, onde aterrou pelas 17h05 locais (16h05 UTC).

Um comunicado de imprensa da FAP explica que a aeronave de bandeira holandesa divergiu e aterrou em segurança no aeroporto de Faro, na sequência do alerta que ativou “todo o seu sistema primário de Busca e Salvamento, no decurso da ocorrência”.

Esta foi a segunda vez em menos de 24 horas que a Força Aérea ativou a parelha de F-16 em alerta permanente na Base Aérea nº 5, em Monte Real, para escoltar uma aeronave civil em dificuldades (LINK notícia relacionada).

Durante a tarde desta segunda-feira a companhia aérea holandesa explicou que o avião ao descolar na ilha da Madeira tinha sofrido “um ligeiro toque da cauda” na pista, o que levou o comandante a optar por um voo mais lento e a altitude mais baixa até ao Aeroporto de Faro, onde o aparelho foi inspecionado. Seguiu viagem uma hora depois, após verificação por pessoal técnico de manutenção aérea e constatação de que o avião poderia voar em segurança. Sobre a intervenção da FAP no incidente a companhia alega que os aviões caça portugueses estavam no ar num exercício, que coincidiu com a chegada do Boeing 737-800 a Faro. Esta questão foi depois esclarecida pela Força Aérea Portuguesa (LINK notícia relacionada)

 

  • Notícia atualizada na terça-feira, dia 13 de novembro de 2018

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica