Bem-vindo, !|Sair

B737 MAX 8 indonésio cai no mar com 189 ocupantes – Encontrados os primeiros destroços

As autoridades governamentais indonésias confirmaram na manhã desta segunda-feira, dia 29 de outubro, que foram encontrados os primeiros destroços do avião de passageiros da companhia de baixo custo Lion Air, que se despenhou no mar ao largo da ilha de Java. Foram também recolhidos os primeiros corpos que deverão ser dos 189 ocupantes da aeronave, que tinha descolado 13 minutos antes do Aeroporto Internacional de Jacarta/Soekarno-Hatta, e que se dirigia para a ilha de Sumatra, disseram fontes governamentais que coordenam os serviços de busca e resgate.

O aparelho envolvido no acidente é um Boeing 737 MAX 8, matrícula PK-LQP, que fez o voo inaugural  no dia 30 de julho deste ano. Tinha sido entregues à companhia indonésia no dia 13 de agosto passado. Trata-se, infelizmente, do primeiro sinistro com um avião deste modelo, a versão mais recente do Boeing 737, um avião que é campeão de vendas da construtora aérea norte-americana e dos mais comuns nos aeroportos internacionais.

O gráfico da autoria de Azlan Zamhari/Malaysiakini.com mostra o percurso do avião desde o aeroporto em que descolou até ao último registo nos radares de controlo aéreo indonésios.

O Governo da Indonésia ordenou a rápida constituição de uma comissão de inquérito e a companhia aérea negou que o avião tivesse descolado com alguma avaria. A existência de uma eventual situação de avaria, verificada num voo anterior, e citada pela imprensa indonésia, foi desmentida pelos serviços técnicos da companhia, que afirma que um constrangimento técnico anterior foi solucionado de acordo com os manuais da construtora e as suas recomendações para casos semelhantes.

O certo é que o comandante da aeronave tinha solicitado permissão para regressar ao aeroporto de partida poucos minutos após a descolagem, tendo entretanto desaparecido dos radares de controlo aéreo. O voo JT610 descolou às 06h20 locais (23h20 UTC de domingo, dia 28 de outubro) e deveria chegar ao Aeroporto de  Bangkal-Balitung (Sumatra) pelas 07h20 locais (00h20 UTC).

O último registo de radar do avião sinistrado, segundo a plataforma de radares do ‘FligthRadar24’, indicava que o avião tinha feito um percurso irregular, quanto a velocidade e altitude de subida. A última gravação mostra que estava a cerca de 1.113 metros de altitude, voava a uma velocidade de 345 nós  e estava sobre o mar a cerca de 15 quilómetros da costa. Poucos minutos antes tinha ascendido até aos 1.524 metros de altitude. O comandante deveria estar a retornar ao aeroporto de Jacarta, conforme manifestara intenção.

O comandante da aeronave, Bhavye Suneja, tinha cerca de 6.000 horas de voo em aviões Boeing 737. O co-piloto, de nome Harviano, segundo a companhia, já tinha cerca de 5.000 horas de voo no mesmo tipo de aeronaves.

O Ministério da Aviação da Indonésia divulgou nesta segunda-feira, a meio do dia, (hora local) que seguiam a bordo do B737 MAX 8 da Lion AIr 181 passageiros (178 adultos e três crianças) e sete tripulantes. Mais tarde, numa nota distribuída pela Lion Air, em que é confirmado o acidente, a companhia diz que o avião sinistrado tinha a bordo 178 adultos, três crianças, um bebé, seis tripulantes, três outros tripulantes em treino e um mecânico, o que soma 185 pessoas. Entrte os passageiros encontravam-se 23 funcionários governamentais. Aguarda-se uma clarificação sobre o número de pessoas a bordo da aeronave sinistrada. Cerca de 10 horas depois do acidente todos os ocupantes são dados como mortos. Até às 13h30 UTC tinham sido recolhidos cerca de uma dezena de corpos. Caiu a noite na Indonésia. As buscas deverão ser retomadas na manhã desta terça-feira, dia 30 de outubro (menos sete horas UTC no local do sinistro).

A Boeing, fábrica norte-americana construtora da aeronave, e a fábrica francesa de motores CFM Internacional (uma joint-venture entre a norte-americana General Electric e a francesa Safran) já manifestaram a sua enorme tristeza e grande consternação pelo sucedido e disponibilizaram-se para participar nos trabalhos da comissão de inquérito ao acidente que deverá contar também com a participação de investigadores norte americanos  da US National Transport Safety Board, entidade que investiga acidentes aéreos nos EUA.

A companhia aérea Malindo Air, subsidiário da Lion Air na Malásia, foi a empresa lançadora do avião Boeing 737 MAX 8, tendo recebido o primeiro aparelho no início do ano.

  • Notícia em desenvolvimento. Última atualização: 14h00 UTC

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica