Companhias suspendem voos de longo curso para os EUA por sugestão da Boeing

Várias companhias internacionais com voos regulares para aeroportos de importantes cidades norte-americanas estão a cancelar os seus voos a partir desta quarta-feira, dia 19 de janeiro, temendo os problemas que o lançamento das novas redes de telecomunicações 5G poderão acarretar para as operações de aeronaves Boeing dos tipos 777, 787 e 747-8.

O problema foi detetado já no último trimestre do ano passado, quando a FAA, órgão regulador da aviação civil nos EUA, cujas opiniões e determinações são seguidas pela maioria dos países que integram a ICAO e das companhias aéreas filiadas na IATA, começou a chamar a atenção das autoridades norte-americanas para a eventualidade de serem criados problemas de intercepção de redes nos aviónicos desses aviões, nomeadamente nas manobras de aproximação e aterragem. Um conflito técnico que urgia resolver.

A FAA disse que a instalação de redes de telecomunicações 5G, nas proximidades dos aeroportos poderiam criar anomalias nos aparelhos de navegação dos aviões Boeing de longo curso, nomeadamente nas manobras de aproximação final às pistas de aterragem, sobretudo em dias de pista molhada e de neve.

A verdade é que pouca evolução se registou nestas últimas 10 semanas, após a denúncia do eventual problema, e sem respostas assertivas por parte das autoridades norte-americanas, foi a própria Boeing a avisar as companhias que operam os tipos de avião referidos, a quem alertou para a eventualidade de situações difíceis de resolver na parte final dos voos.

Nesta terça-feira, dia 18 de janeiro, a American Airlines distribuiu uma nota aos seus trabalhadores, na qual disse que a companhia estava a debater-se com uma situação invulgar, que cria “uma visão sombria e um sério alerta” para a operação dos seus aviões B777 e B787, potenciadora de “atrasos, desvios e cancelamentos fora do controlo da companhia”.

Ao princípio da tarde foi a Emirates, a maior companhia global de voos intercontinentais, com base no Dubai (Emirados Árabes Unidos), que anunciou a suspensão de voos para nove dos 12 aeroportos dos EUA para onde realiza voos regulares, que são feitos com aviões Boeing 777-300ER. Apenas prosseguirão, sem alterações, os serviços regulares para Nova Iorque/JFK, Washington/Dulles e Los Angeles (Califórnia), voos que serão realizados com aviões Airbus A380.

Também a British Airways anunciou nesta terça-feira o cancelamento de voos de Londres/Heathrow para cinco cidades norte-americanas, enquanto para outras duas cidades os Boeing 777 serão substituídos por dois aviões da Airbus, um A350 e um A380 (que marca assim o regresso dos Super Jumbos da British mais cedo do que estava programado, após a fase mais difícil da pandemia).

Outras companhias que, até ao final desta terça-feira, também anunciaram a suspensão dos seus voos para cidades dos Estados Unidos da América, foram as japonesas JAL e ANA e a Air India.

Uma notícia para acompanhar nesta quarta-feira, dia 19 de janeiro.

1 Comments

  1. Avatar

    aliás, assim a mensagem parece ser: largue a Boeing, compre Airbus…

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica