Conselho de Administração da TAP cede aos protestos e revê plano de rotas

A TAP vai ajustar os planos de rota anunciados pela companhia aérea portuguesa para o período pós-pandemia em diálogo com os agentes económicos, nomeadamente associações empresariais e entidades regionais de turismo, anunciou nesta quarta-feira, dia 27 de maio, o Conselho de Administração da empresa aérea.

Um comunicado distribuído durante a tarde em Lisboa mostra uma modificação na atitude da companhia aérea, que, certamente, foi mudada após os muitos protestos de entidades envolvidas no negócio das viagens e do turismo e, também do próprio primeiro-ministro António Costa que na manhã desta quarta-feira, tinha manifestado a sua discordância com o plano da TAP, que classificou de estar ferido de “falta de credibilidade” (LINK notícia relacionada).

É o seguinte o teor do comunicado:

“O Conselho de Administração da TAP SGPS, SA afirma que a Companhia está  empenhada e vai de imediato colaborar  com todos os agentes económicos, nomeadamente associações  empresariais e entidades regionais de turismo,  para viabilizar  o maior número de oportunidades, adicionar e ajustar os planos de rota anunciados para este momento de retoma por forma a procurar ter um serviço ainda melhor e mais próximo  a partir de todos os  aeroportos nacionais onde a TAP opera, o que, considerando o  período difícil que Portugal atravessa, ficará, naturalmente, subordinado aos constrangimentos legais que existam quanto à mobilidade das pessoas e ao transporte aéreo.

O objetivo da TAP é continuar a voar para retomar a sua operação e a servir os seus clientes sempre com o objetivo de assegurar a sua sustentabilidade futura e continuar a projetar Portugal no Mundo.”

 

 

  • Foto © Rui Fernandes

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica