EasyJet apresenta lucros e ganha novos passageiros em Portugal

A companhia britânica de baixo custo EasyJet anunciou nesta terça-feira, dia 12 de Maio, ter revertido as perdas que habitualmente apresenta no final do semestre terminado a 31 de Março, que é o período de baixa da aviação europeia, apresentando um lucro de cinco milhões de libras esterlinas (cerca de 6,97 milhões de euros), quando no exercício anterior tivera perdas de 41 milhões de libras (cerca de 57,2 milhões de euros).

Foi um “recorde” para um primeiro semestre, comentou Carolyn McCall, presidente executiva da companhia, citada no balanço, que destaca as contribuições das iniciativas da EasyJet focadas nos clientes, um “forte” fim da época de ski, “bem como os benefícios que recebemos dos menores preços do combustível e de movimentos cambiais favoráveis”.

Para esta evolução contribuíram a descida do preço do combustível, que lhe reduziu a factura co combustível em 3,9%, bem como as variações cambiais, pelas quais teve uma descida em 1,4% dos custos não combustível por lugar em 1,4%, embora se os câmbios se mantivessem constantes teria uma subida de 2,9%.

Os câmbios, e especialmente a desvalorização do euro face à libra, porém, também penalizaram a receita, pois a câmbios constantes teria uma subida da receita por lugar em 2,6% e não apenas em 0,2%, como acontece a câmbios actuais.

Ainda assim, os câmbios acabaram por ter um contributo positivo para a subida do lucro por lugar, tal como a queda do preço do combustível, pelo que no final teve impactos favoráveis de 35 milhões de libras (48,8 milhões de euros) pelos combustíveis e de 18 milhões de libras (25,1 milhões de euros) pelas flutuações cambiais.

No semestre terminado em Março deste ano, a taxa de ocupação média nos voos da EasyJet aumentou 0,7 pontos percentuais para 89,7%, enquanto a capacidade disponível cresceu 3,6% para 32,2 milhões de assentos.

A Easyjet abriu novas bases em Amesterdão e no Porto, passando a contar com 26 bases.

 

Greve da TAP criou uma nova clientela para a rede de baixo custo da EasyJet

A Easyjet ganhou novos passageiros com a greve de 10 dias na TAP, que levou muitos a voarem pela primeira vez na companhia de baixo custo, disse à agência noticiosa Lusa o director comercial para o mercado português, José Lopes.

Sem avançar números relativos ao aumento da procura nos primeiros 10 dias de Maio, na sequência da greve dos pilotos da TAP e da Portugália, o responsável confirmou que a companhia de baixo custo recebeu passageiros que “nunca tinham voado com a Easyjet sobretudo na categoria ‘business'” (classe executiva) e que “muitos irão voltar”.

“A greve na TAP foi uma boa oportunidade para quebrar alguns tabus de pessoas que nunca tinham voado com a companhia”, adiantou à Lusa José Lopes, no dia em que foram divulgados os resultados da Easyjet relativos ao primeiro semestre, terminado a 31 de Março.

José Lopes sustentou que “os números relativos ao período de greve de dez dias na TAP apenas são contabilizados no segundo semestre” que decorrerá até final de Setembro, e que a companhia está “a apresentar os resultados relativos ao primeiro semestre”, que foram “muito positivos em Portugal, em linha com o resto da Europa”.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica