IATA confirma primeiro lugar da Ryanair no transporte de passageiros

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A Ryanair foi a companhia que transportou mais passageiros em voos internacionais no mundo no ano de 2015, confirmou nesta quinta-feira, dia 25 de agosto, a IATA (Associação internacional de Companhias Aéreas).

A companhia irlandesa de baixo custo somou um total de 101,4 milhões de passageiros, mantendo o primeiro lugar mundial que já detinha, segundo as estatísticas de transporte aéreo do ano passado, reveladas pela IATA.

A soma de passageiros obtida pela companhia irlandesa coloca-a a cerca de 40 milhões da sua mais direta concorrente, a britânica EasyJet, com 62,6 milhões de passageiros, e a 55 milhões da alemã Lufthansa, que se classificou em quarto lugar na listagem com 46,9 milhões. Entre a EasyJet e a Lufthansa, em terceiro lugar, ficou a companhia árabe Emirates, com sede no Dubai, que transportou um total de 51 milhões de passageiros. No quinto lugar está a British Airways com 36,9 milhões de clientes transportados.

Para celebrar o acontecimento, a Ryanair acaba de anunciar que colocou na sua rede europeia uma oferta de 100 mil lugares que serão vendidos a partir de 19,99 euros para viagens em outubro e novembro deste ano. As reservas devem ser feitas através do site até à meia-noite da próxima segunda-feira, dia 29 de agosto.

A companhia irlandesa espera chegar ao final do corrente ano com um novo recorde individual e mundial, tendo uma previsão de 117 milhões de passageiros na suas rotas em 2016.

A Ryanair voa de aeroportos portugueses para diversos destinos europeus, tendo bases operacionais em Lisboa, Porto e Ponta Delgada (Açores).

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Mais passageiros transportados interilhas em Cabo Verde em março e abril deste ano

Os dois aviões fretados pela TACV, companhia aérea estatal...

Presidente da TAP defende que o Estado Português não deve privatizar totalmente a empresa

O presidente da TAP, Luís Rodrigues, defendeu que o...