KLM escolhe Aeroporto do Porto para desafio global de voos mais sustentáveis

A KLM escolheu a rota de Amesterdão/Schiphol-Porto para um dos dois voos teste com combustível sustentável. Ambos descolaram no passado sábado, dia 7 de maio. Um para o norte de Portugal, e outro para a cidade de Edmonton, no Canadá.

Segundo a companhia neerlandesa, ambos os voos foram submetidos à maior variedade possível de medidas de sustentabilidade. Iniciado por colaboradores da KLM, o ‘Sustainable Flight Challenge’ conta com 16 membros da ‘SkyTeam Airline Alliance’ a competir com o objetivo de todos partilharem as suas aprendizagens e experiências no âmbito da sustentabilidade, acelerando assim o caminho para uma maior sustentabilidade em todo o setor da aviação.

“Em 2019, a KLM estendeu a mão da cooperação ao setor com a sua campanha “Fly Responsibly”, convidando outras companhias a partilharem as suas melhores práticas para tornar o voo mais sustentável. Agora, chegou a hora de dar o próximo passo e avançar para um desafio mais concreto: que companhia consegue operar um voo mais longo e um outro mais curto da forma mais sustentável possível? A grande vantagem do ‘Sustainable Flight Challenge’ é, desde logo, o entusiasmo gerado entre os colaboradores da KLM para apresentarem as suas ideias sobre as formas de consegui-lo. Outro aspeto positivo é que as companhias participantes concordaram em partilhar as lições aprendidas e que os nossos clientes, fabricantes de motores, produtores de SAF e outros parceiros estiveram envolvidos. Este espírito de cooperação torna possível e viável uma maior sustentabilidade na aviação.”, adianta René de Groot, diretor de Operações da KLM Royal Dutch Airlines.

Thierry Ligonnière, presidente executivo da ANA, do grupo VINCI Airports, disse: “É com muita satisfação que recebemos o voo sustentável da KLM no aeroporto do Porto. Sermos escolhidos como o aeroporto de destino para este desafio evidencia o reconhecimento do nosso trabalho na área da sustentabilidade e ambiente e reforça a parceria positiva já existente com o Grupo Air France-KLM no âmbito da sustentabilidade. Esta é uma excelente ocasião para partilharmos as medidas ambientais já implementadas nos aeroportos da rede ANA, que integram a estratégia da ANA/VINCI Airports. Assumimos o compromisso NetZero até 2030, nos nossos aeroportos (âmbitos 1 e 2), promovendo a mobilidade positiva. Estamos a atuar de forma mais acelerada e integrada com os stakeholders para, assim, obtermos melhores e maiores resultados ambientais.“

As duas formas mais eficazes de reduzir as emissões de CO2 são a renovação da frota e o uso de combustível de aviação sustentável (SAF). É por isso que os voos da KLM para Edmonton e da KLM Cityhopper para o Porto foram operados pelos dois aviões mais económicos das respetivas frotas, o Boeing 787-10 e o Embraer 190, ambos alimentados com uma mistura de combustível composta por 39% SAF. Além disso, foram tomadas uma ampla gama de medidas para a redução do peso a bordo. Os passageiros da World Business Class para Edmonton foram ainda convidados a escolher a sua refeição preferida antecipadamente, por exemplo, e a modelagem por IA foi usada para prever as necessidades de água a bordo e garantir a provisão do volume preciso.

Naturalmente, a KLM informou os passageiros de que o seu voo tinha um propósito especial, fornecendo-lhes informações sobre como viajar de forma mais sustentável, por exemplo apoiando o programa de compensação CO2ZERO ou contribuindo para o SAF (combustível de aviação sustentável).

Os pilotos trabalharam com os controladores de tráfego aéreo para voar as rotas mais eficientes, evitando os desvios que os voos costumam enfrentar. O carregamento foi totalmente otimizado para garantir um melhor centro de gravidade, melhorando a aerodinâmica e gerando a economia de combustível de 1,5 a 2%. A carga na barriga do avião foi empilhada com paletes mais leves e presas com redes mais leves, e as empresas de transporte de carga foram solicitadas a usar veículos movidos a eletricidade ou biodiesel. Um total de mais de 50 medidas, umas existentes e outras novas, foram tomadas a bordo de ambos os voos, envolvendo todas as divisões da KLM e também parceiros como os aeroportos de Edmonton Airport, do Porto e de Amesterdão/Schiphol, Controlo Aéreo dos Países Baixos (LVNL) e a General Electric. O impacto das medidas mais recentes será avaliado para perceber se faz sentido implementá-las a curto prazo.

O ‘Sustainable Flight Challenge’ foi iniciado por um grupo de colaboradores entusiastas da KLM, inspirados pela famosa Air Race Londres-Melbourne de 1934, que pretendia expandir o acesso global e conectar as pessoas de todo o mundo. Os voos de longo curso já não representam um desafio para o setor do transporte aéreo, mas a sustentabilidade representa uma nova fronteira. É por isso que o ‘Sustainable Flight Challenge’ se vai concentrar num serviço diário e comercial programado.

O desempenho das companhias aéreas participantes vai ser avaliado por um júri externo independente de seis elementos, liderado pelo ex-primeiro-ministro neerlandês Jan Peter Balkenende. Este painel vai decidir a companhia aérea que teve o melhor desempenho em quatro categorias: impacto, inovação, movimento de escala e cooperação. Os resultados serão divulgados no final de junho. O conhecimento gerado durante o ‘Sustainable Flight Challenge’ será partilhado entre os parceiros SkyTeam participantes.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica