Bem-vindo, !|Sair

Lucro líquido da Ryanair subiu 6% no último ano fiscal

A companhia aérea irlandesa Ryanair obteve um lucro líquido de 1.316 milhões de euros no ano fiscal que decorreu de de 1 de abril de 2016 a 31 de março de 2017, mais 6% do que no ano anterior.

Entre os fatores que contribuíram para o aumento do lucro líquido, a companhia de baixo custo destacou a queda de 13% do preço médio dos voos para 41 euros, que permitiu reduzir em 11% os custos unitários.

Mesmo assim, no ano fiscal em análise, a Ryanair manteve em 94% o fator de ocupação, que mede a percentagem de assentos ocupados em cada avião, e aumentou em 13% o tráfego de passageiros para 120 milhões.

O presidente executivo da Ryanair, Michael O’Leary, refere num comunicado divulgado nesta terça-feira, dia 30 de maio, que a companhia aérea conseguiu elevar os lucros apesar das “difíceis” condições do mercado, atingido, por exemplo, por uma “série de incidentes de segurança ocorridos em cidades europeias”.

O responsável sublinhou que o setor se ressentiu com a “forte queda” da libra esterlina verificada desde a realização do referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) – ‘Brexit’ – em 23 de junho.

“Reagimos a estes desafios melhorando os nossos serviços de atenção ao cliente e estimulando o crescimento com preços mais baixos”, afirmou O’Leary, que recordou que no ano fiscal a companhia aérea obteve receitas de 6.648 milhões de euros, mais dois por cento.

Do total da faturação, 27% foi gerado pelas “receitas auxiliares”, que incluem as vendas a bordo, recargas de bagagem ou taxas de embarque com prioridade, que aumentaram 13% para 1.800 milhões de euros.

Em relação às previsões para os próximos meses, a Ryanair estima que o transporte de passageiros poderá crescer 8% no exercício fiscal em curso e superar 130 milhões de passageiros por ano.

A companhia aérea irlandesa também prevê que o preço médio das tarifas aéreas desça 5% ou 7%, devido à desvalorização da libra, o que poderia gerar um aumento de 8% do lucro.

“Os investidores devem reconhecer o risco negativo que apresenta o ‘Brexit’ ou a repetição de qualquer dos incidentes de segurança ocorridos no ano passado em cidades europeias, fatores que podem afetar a confiança do consumidor”, sublinha a Ryanair no comunicado em que dá conta dos resultados do seu último exercício anual.

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica