Lufthansa já pagou todos os empréstimos e anuncia recuperação financeira

A Deutsche Lufthansa AG, holding do Grupo Lufthansa, anunciou nesta sexta-feira, dia 12 de novembro, que já reembolsou ou cancelou [neste caso específico, por não ter tido necessidade de utilizá-los] todos os fundos disponibilizados pelo Fundo de Estabilização Económica da República Federal da Alemanha (FSE) dedicado às companhias aéreas, na sequência da pandemia de covid-19.

Desta forma, o reembolso de mil milhões de euros foi efetuado na totalidade e muito antes do inicialmente previsto, o que só foi possível devido à crescente procura de viagens aéreas, à rápida reestruturação e transformação do Grupo Lufthansa e à confiança dos mercados de capitais na empresa.

Em fevereiro último, a empresa já tinha reembolsado um outro empréstimo do Banco KfW de mil milhões de euros antes do previsto. Isto significa que todos os empréstimos do governo e de fundos financeiros ou bancários, incluindo os respectivos juros, foram agora reembolsados e estão os processos encerrados. Sob esta condição, o sector público irá vender a participação que detém na Deutsche Lufthansa AG no valor de aproximadamente 14% do capital social até outubro de 2023, conforme estipulado.

Carsten Spohr (na imagem acima), presidente executivo da Deutsche Lufthansa AG, expressou a sua satisfação pela recuperação financeira do Grupo e deixou um agradecimento em nome dos empregados da empresa ao governo e aos contribuintes alemães:

“Em nome de todos os empregados da Lufthansa, gostaria de agradecer ao governo alemão e aos contribuintes alemães. Na mais grave crise financeira da história da nossa empresa, eles deram-nos uma perspectiva para o futuro. Isto permitiu-nos salvar mais de 100.000 postos de trabalho. Estamos orgulhosos por termos sido capazes de cumprir a nossa promessa mais cedo do que o esperado e de pagar a ajuda financeira alemã. Gostaria de agradecer aos nossos empregados pelo seu grande empenho e especialmente aos nossos clientes que se mantiveram leais a nós nestes tempos difíceis. A Lufthansa pôde contar com a Alemanha e a Alemanha pode contar com a Lufthansa. Muitos desafios permanecem. A nossa ambição é fortalecer a nossa posição entre os principais grupos de companhias aéreas do mundo. Para tal, continuaremos consistentemente a reestruturação e transformação da empresa.”

 

Em junho de 2020, os acionistas da Deutsche Lufthansa AG abriram o caminho para ter acesso às medidas de financiamento do Fundo de Estabilização Económica (ESF) da República Federal da Alemanha. O pacote do governo alemão forneceu inicialmente medidas e empréstimos num total de até nove mil milhões de euros, dos quais a empresa sacou um total de cerca de 3,8 mil milhões de euros. Isto inclui cerca de 306 milhões de euros, com os quais o FSE construiu a sua participação na Deutsche Lufthansa AG.

Para refinanciar o passivo existente e os pacotes de estabilização do governo, a empresa tomou várias medidas de financiamento da dívida e do capital próprio desde o Outono de 2020. Ao fazê-lo, beneficiou da confiança cada vez maior dos mercados financeiros nas perspectivas futuras do Grupo Lufthansa.

Em novembro de 2020, a empresa fez um ‘regresso’ aos mercados de capitais com a emissão de um lote de emissões convertíveis com um volume total de 600 milhões de euros e outro lote de obrigações empresariais de mil milhões de euros. Em fevereiro de 2021, a Deutsche Lufthansa AG voltou a emitir com sucesso 1,6 mil milhões de euros em obrigações. Seguiu-se outra colocação de obrigações em julho de 2021, no montante de mil milhões de euros. Em Outubro de 2021, a empresa concluiu com sucesso um aumento de capital. As receitas brutas do aumento de capital ascenderam a 2,2 mil milhões de euros. Finalmente, a 9 de novembro de 2021, o Grupo Lufthansa voltou a operar com sucesso no mercado financeiro e emitiu novo lote de obrigações no montante de 1,5 mil milhões de euros.

 

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica