Macau perdeu 25% da sua força laboral na aviação durante a pandemia

Simon Chan, presidente da Autoridade de Aviação Civil da Região Administrativa Especial de Macau (AACM), indicou que o sector do transporte aéreo perdeu cerca de 25% do total dos trabalhadores, principalmente não residentes. Garantiu ainda que a proporção dos locais “não sofreu grandes mudanças”, mas não apontou números.

O presidente da AACM revelou que durante a pandemia de covid-19 a taxa de saída de trabalhadores no sector do transporte aéreo na Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) foi de cerca de 25% do total. Segundo disse, na sua maioria, eram “trabalhadores não residentes que cessaram as suas funções no termo do prazo contratual ou por razões individuais, enquanto a proporção dos trabalhadores locais não sofreu grandes mudanças”.

Em resposta a uma interpelação da deputada Ella Lei, Simon Chan frisou ainda que as entidades exploradoras do sector da aviação de Macau têm vindo a proporcionar aos profissionais locais a formação técnica necessária, “tendo realizado de forma sucessiva, nos últimos anos, ‘Programa de Pilotos – Cadetes Locais’ que visa formar gradualmente os jovens locais para se tornarem profissionais da respectiva área”.

“Com o desenvolvimento da Grande Baía, o Governo da RAEM irá adoptar medidas conforme as circunstâncias, prestando apoio ao sector com antecedência, quer na organização de recursos humanos, quer na formação de trabalhadores, de modo a satisfazer o novo rumo de desenvolvimento do sector da aviação”, salientou.

Por outro lado, a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) referiu que tem vindo a manter cooperação com as empresas locais de aviação civil, através da realização conjunta de programas de estágio e de palestras sobre o sector, por forma a dar a conhecer, mais ainda, aos jovens de Macau o sector da aviação. Em 2021, a DSAL lançou o ‘Plano de Estágio para Criar Melhores Perspectivas de Trabalho’, cujo âmbito foi alargado ao sector da aviação, oferecendo aos jovens licenciados e residentes de Macau oportunidades práticas in loco no trabalho.

Em 2021, foram disponibilizados 15 postos de estágio no sector da aviação, dos quais 12 foram admitidos, 11 participaram no estágio, e 7 foram recrutados a convite das empresas, tendo todos aceitado candidatar-se. Em 2022, o número de postos de estágio foi aumentado até́ 18, tendo sido admitidos nove candidatos que participaram no estágio.

 

  • Texto publicado pelo jornal de língua portuguesa ‘Tribuna de Macau’, assinado por C. P., em 16 de dezembro de 2022

 

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica