Obras de 15 milhões aumentam operacionalidade do Aeroporto do Porto

A Vinci Airports, dona da ANA – Aeroportos de Portugal, empresa concessionária dos principais aeroportos nacionais portugueses, no Continente e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, está a investir 15 milhões de euros na ampliação do caminho de circulação do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, na cidade do Porto, no norte do País.

As obras, que foram anunciadas pelo presidente executivo da ANA, Thierry Ligonnière, já se iniciaram e pretendem “acrescentar capacidade para, no futuro, ser possível responder à necessidade de desenvolvimento do tráfego”.

Em cima da mesa está um projeto de melhoramento de circulação das aeronaves, que irá permitir aumentar os movimentos por hora de 20 para 32, graças à “criação de uma saída rápida na pista e entradas múltiplas”, avançou o mesmo responsável, em declarações aos jornalistas, durante uma visita do ministro das Infraestruturas e da Habitação às obras em curso, na sexta-feira, dia 26 de abril.

Além disso, de acordo com Ligonnière, a capacidade da pista irá aumentar em 60%, algo que poderá traduzir-se num aumento “teórico no terminal”, ou seja, em número de passageiros, mas não para já. As obras estão a ser realizadas de forma a que o tráfego atual sofra o mínimo de perturbações, sobretudo durante a noite e deverão estar concluídas na sua totalidade em abril de 2020.

A Vinci Airports garantiu ainda que o Aeroporto do Porto terá, depois destes melhoramentos, “capacidade para 20 milhões de passageiros” por ano, sendo que no ano passado movimentou 11,9 milhões.

O aeroporto recebeu no ano passado um investimento no alargamento da área de segurança, de 55 milhões de euros, que já foi concluído e está em funcionamento. “O aeroporto tem um plano até 2062 e temos as fases de crescimento planeadas”, garantiu Thierry Ligonnière.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, referiu, por sua vez, que o investimento no aeroporto faz sentido tendo em conta o desenvolvimento da região. “A infraestrutura aeroportuária tem que acompanhar e suportar este crescimento”, realçou.

“Se alguma coisa caracteriza a região Norte é a capacidade de ser empreendedora e proativa”, disse o governante português. Por isso, concluiu Pedro Nuno Santos, o aeroporto “tem que acompanhar o dinamismo dos portugueses” que lá vivem.

Nicolas Notebaert, presidente executivo da Vinci Concessions e chairman na Vinci Aeroports, que gere 46 aeroportos em mais de uma dezena de países afirmou que o desempenho do Aeroporto Francisco Sá Carneiro é extraordinário, tendo duplicado os seis milhões de passageiros que movimentava em 2013 (ano em que a Vinci comprou a ANA) para quase 12 milhões de passageiros em 2018. “É o aeroporto onde registamos maiores crescimentos, em todas as concessões da Vinci”, admitiu o presidente da multinacional de matriz francesa.

Neste ano de 2019, o Aeroporto do Porto vai ter voos diretos para 78 destinos, mais seis do que em 2018, num total de 89 rotas, mais sete do que em 2018, operadas por 28 diferentes companhias. As ligações Porto-São Paulo/Campinas com a AZUL – Linhas Aéreas Brasileiras começam a 4 de junho com três voos semanais e Porto-Dubai com a Emirates, com quatro voos por semana começam no dia 2 de julho.

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica