Ryanair perde 197 milhões de euros no primeiro semestre de exercício 2020-21

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A ‘Ryanair Holdings plc’, grupo de empresas aéreas de transporte de passageiros em regime de baixo custo lideradas pela companhia irlandesa Ryanair, perdeu no primeiro semestre deste ano (abril a setembro pelo plano contabilístico utilizado nos países anglo-saxónicos) 197 milhões de euros, muito acima das piores previsões dos seus gestores. O tráfego caiu 80% para 17 milhões de passageiros (86 milhões no mesmo período de 2019).

A maior grupo de transporte aéreo low cost da Europa prevê para 2021 uma queda de, pelo menos, 50 por cento nas suas vendas e já advertiu o mercado, num comunicado de imprensa distribuído nesta segunda-feira, dia 2 de novembro, que “a crise está a agravar-se”. A previsão de transporte de passageiros para o próximo exercício anual é de 38 milhões de passageiros, número que não será atingido no corrente ano contabilístico, em que alcançar 30 milhões já será uma perspectiva muito otimista (1 de abril de 2020 a 31 de março de 2021).

Esta foi a primeira vez que a Ryanair declarou prejuízos após uma temporada de Verão, o que resulta da paragem forçada de diversas rotas devido à pandemia de covid-19.

Em 2021, a Ryanair espera manter em funcionamento as quatro companhias aéreas que integram o seu portefólio, com certificados de operadoras aéreas registados na Áustria, Irlanda, Malta e Polónia. Outra empresa, registada recentemente, a Ryanair UK, estará apta a concorrer no mercado britânico, beneficiando de todos os acordos de tráfego aéreo que o Reino Unido venha a assinar com outros países, na sequência do Brexit. Esta companhia irá empenhar-se ainda na construção de uma rede de voos domésticos entre aeroportos das quatro nações que integram o Reino Unido – Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales.

No comunicado distribuído sobre as contas dos primeiro semestre contabilístico, a Ryanair, diz que espera receber o primeiro Boeing 737 MAX-8, com novos reajustamentos técnicos, no início de 2021, contando estar a voar com cerca de 30 unidades deste modelo no Verão do próximo ano.

A Ryanair confirma que os aviões que serão entregues à companhia serão da série 200, configurados especialmente para a low cost europeia, com mais quatro por cento de assentos. Com a nova frota de B737 MAX200 a Ryanair estará apta a transportar até 200 milhões de passageiros/ano dentro dos próximos cinco a seis anos, com uma redução significativa de custos e da pegada ecológica da companhia.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Presidente da SATA demitiu-se por falta de “condições” para continuar o “projeto proposto”

A Comissão de Trabalhadores da companhia aérea portuguesa Azores...

FAP terminou missão de patrulhamento no Golfo da Guiné em cooperação com países lusófonos

Os militares Força Aérea Portuguesa (FAP) da Esquadra 601...

Qatar Airways reforça Luanda que terá quatro voos semanais e alarga rede para Kinshasa

A Qatar Airways prossegue a expansão da sua rede...