Sentinel-2A em órbita há 5 anos para ajudar a gerir o conhecimento ambiental

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

O satélite europeu Sentinel-2A já completou a órbitra da Terra mais de 26.000 vezes e viajou quase 1,2 mil milhões de quilómetros na sua missão de nos ajudar a compreender e gerir melhor o nosso ambiente.

Desde o seu lançamento a 23 de junho de 2015, o satélite Copernicus Sentinel-2A, construído pela Airbus, fornece imagens óticas de alta resolução úteis para muitos serviços e aplicações, incluindo a gestão agrícola e florestal. Juntamente com o gémeo, o satélite Sentinel-2B (lançado a 7 de março de 2017), esta missão tornou-se a mais utilizada de toda a família de satélites Copernicus, com mais de 60% de todos os downloads do Copernicus a partir do Sentinel-2 desde o início das operações.

Ambos os satélites Copernicus Sentinel-2 transportam um inovador gerador de imagens multiespectrais de alta resolução (MSI), também construído pela Airbus, que cobre 13 bandas espectrais para a obtenção de imagens detalhadas dos terrenos e da vegetação. A combinação da alta resolução, novas capacidades espectrais, uma largura de faixa de 290 quilómetros e elevada frequência no tempo de revisitação proporciona uma visão sem precedentes da Terra. A missão baseia-se numa constelação de dois satélites idênticos na mesma órbita, separados por 180° para uma cobertura e fornecimento de dados optimizados. Em conjunto, cobrem todas as áreas terrestres da Terra, grandes ilhas, zonas continentais e costeiras de cinco em cinco dias no Equador e de três em três dias na Europa Central.

A missão disponibiliza informações para aplicações como a monitorização agrícola e florestal ou para ajudar a gerir a segurança alimentar e as imagens de satélite podem ser utilizadas para determinar vários índices nas plantas. As variáveis geofísicas como o teor de clorofila foliar ou o teor de água foliar podem ser determinadas graças à abrangente amostragem espectral oferecida pela missão. Isto é particularmente importante para a previsão eficaz do rendimento e aplicações relacionadas com a vegetação da Terra.

Para além de monitorizar o crescimento das plantas, o Sentinel-2 pode ser utilizado para mapear as alterações na cobertura terrestre e para monitorizar as florestas mundiais. Fornece igualmente informações sobre a poluição nos lagos e nas águas costeiras. Imagens de inundações, erupções vulcânicas e deslizamentos de terras contribuem para a cartografia de catástrofes e auxiliam nos esforços de ajuda humanitária. Além disso, embora não tenham sido originalmente concebidos para o efeito, os satélites Sentinel-2 podem ajudar a detectar detritos marinhos flutuantes.

 

  • Foto © Airbus

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Governo assegura que “não vai haver aporte do Estado” para o novo aeroporto de Lisboa

O ministro português das Infraestruturas, Miguel Pinto Luz (na...

Lisboa volta a ter voo direto para o Cairo – Egyptair retomou a rota com dois voos semanais

A Egyptair está de regresso a Portugal, tendo retomado...

CRJ-200ER despenhou-se no Nepal – Morreram 18 dos 19 ocupantes da aeronave que fazia um voo de teste

Um avião a jato bimotor CRJ-200ER da companhia nepalesa...

Ativistas climáticos interromperam tráfego aéreo em Colónia/Bona – Movimento já foi retomado

O Aeroporto de Colónia/Bona, na Alemanha, já reabriu ao...