TAP coloca a Portugália na base do negócio de voos charters do Grupo

O Grupo TAP está a ampliar a oferta no mercado de fretamento de aviões comerciais, com a especialização da Portugália Airlines, que integra o grupo, nesta nova e crescente área de negócio.

A Portugália, companhia aérea que foi integrada na TAP em novembro de 2006, opera já todos os seus voos para a maior companhia aérea portuguesa, passando agora a disponibilizar todo o seu know-how nesta área de fretamento ao mercado em geral. Os seus aviões continuarão a voar em diversas rotas que são hoje exploradas pela TAP sob a marca TAP Express, nomeadamente para cidades europeias e Norte de África, mas serão numa nova estrutura de grupo o núcleo principal de um departamento que dedicará aos voos fretados, nomeadamente para operadores turísticos nacionais e estrangeiros, com quadros comerciais próprios.

A TAP, por seu lado, continuará também a analisar todas as oportunidades de fretamento de aviões da sua frota. A TAP Air Portugal e a Portugália Airlines fornecem já serviços de fretamento para vários destinos na Europa e no mundo. No ano passado realizaram dezenas de voos contratados por operadores turísticos nacionais, sobretudo com destino ao arquipélago de Cabo verde e para diversos aeroportos do Sul da Europa e da Bacia do Mediterrâneo.

A Portugália Airlines, antes designada por PGA – Portugália Airlines, iniciou a sua operação em 1990 e é parte integrante e detida a 100% pelo Grupo TAP desde 2007. Foi criada em 1988 por iniciativa da Coopav – Cooperativa de Pilotos, da Transconsult – Gabinete de Estudos e Projetos no setor dos Transportes e do Grupo Espírito Santo. Começou a voar em 1990, entre o Porto e Lisboa, com um Fokker F-100. Os grandes entusiastas da criação da companhia foram diversos pilotos comerciais, muitos deles oriundos das ex-colónias portuguesas de África e, depois, também de Macau, onde Portugal criou nos anos noventa do século passado uma companhia aérea, a Air Macau, com tripulações portuguesas. A então PGA foi depois adquirida na totalidade pela Espírito Santo Internacional, uma das holdings do Grupo Espírito Santo (GES), entretanto extinto. Em novembro, por decisão do Governo Português, a ex-PGA foi integrada na TAP, cujo único acionista era, nesse tempo, o Estado Português, que pagou ao GES 140 milhões de euros pela aquisição.

Em 2016, a Portugália Airlines já integrada numa outra realidade – parte da TAP já tinha sido privatizada e a companhia adquirira outra importância e posicionamento no mercado – renovou a sua frota, operando um total de 13 aviões, sendo nove  aeronaves Embraer 190, com capacidade para 106 passageiros, e quatro aeronaves Embraer 195, com capacidade para 118 passageiros. Aviões que vieram da Azul – Linhas Aéreas Brasileiras, a maioria ainda com pouco tempo de serviço.

A Portugália ganhou o prémio “ERA’s best regional airline of the year” em 2017  e foi  uma das companhias aéreas regionais mais premiadas enquanto esteve na mão do ex-Grupo Espírito Santo, ganhando os mais importantes prémios e distinções do segmento da aviação Regional na Europa. Atualmente a Portugália Airlines opera no Grupo TAP sob a marca TAP Express.

Nesta nova vida da Portugália Airlines, admite-se que a companhia volte a voar com o seu antigo Certificado de Operador Aéreo (COA), uma questão que não está ainda totalmente resolvida. O Grupo TAP solicitou à ANAC – Autoridade Nacional de Aviação Civil, em Lisboa, a recuperação do código NI, com o qual a Portugália trabalhou até ao phase out das suas frotas de aviões Embraer ERJ-145 e Fokker F100, em 2017.

 

Novo departamento de fretamento de aviões do Grupo TAP

No mercado de fretamento, o Grupo TAP entrega ao cliente o avião pronto a voar, cobrindo todos os custos relativos à operação dos voos. É o denominado sistema de ACMI que inclui avião, tripulação, manutenção, seguro, combustível, ground handling de passageiros, carga e correio (custos de carregamento e descarregamento), autorizações de sobrevoo, autorizações de aterragem, catering e todos os outros custos operacionais, incluindo o seguro para o avião.

A TAP está apta a providenciar serviços charter, para séries de voos e voos Ad-Hoc, chegando a vários segmentos, tais como, em séries de voos, na programação de operadores turísticos (lançamento de novos destinos , diversificação  da oferta turística ou reforço dos que têm maior procura e, em voos Ad-Hoc, na área de Incentivos, Viagens de negócios, Eventos, Feiras, Desporto (deslocações para desportistas, clubes), grupos privados, etc.

A flexibilidade de gestão da frota do Grupo TAP permite viabilizar  voos charter diretos à partida de Lisboa, Porto, Faro, Madeira, Terceira e até Ponta Delgada para o destino pedido pelos clientes.

 

Serviços exclusivos disponibilizados

Outros serviços exclusivos para os charters disponibilizados pelo Grupo TAP incluem uma plataforma de gestão integrada, o ‘Flycharters’, disponível para o trade (operadores e agentes de viagens)  que permite autonomizar vários serviços, como a inserção automática de nomes, o Split de pnrs para permitir agrupamento de famílias, a inserção automática de bilhete de charter ou a abertura de web check-in.

Os voos charter operados pelo Grupo TAP têm acesso ao Web check-in, com abertura a 36 horas da partida, emissão de cartão de embarque e Seating e Reseating, sendo oferecidos, como serviços adicionais, dos voos charter, refeições diferenciadas (por exemplo em charters de empresas ou clubes de futebol) ou a customização  de interiores/dressing (por exemplo colocação de cabeceiras, almofadas e/ou mantas personalizadas).

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica