Tripulantes de cabina da TAP decidem greve para os dias 8 e 9 de dezembro

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

Os tripulantes de cabina da TAP Air Portugal decidiram nesta quinta-feira, dia 3 de novembro, convocar uma greve para os próximos dias 8 e 9 de dezembro. A decisão foi tomada durante uma assembleia-geral do Sindicato Nacional Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), disseram fontes sindicais à agência de notícias ‘Lusa’.

O sindicato tinha marcado para esta quinta-feira uma assembleia-geral, com caráter de urgência, para debater o Acordo de Empresa enviado pela transportadora aérea, não descartando o recurso à greve. O pedido de convocatória foi justificado com os “sistemáticos atropelos” ao Acordo de Empresa em vigor e ao Acordo Temporário de Emergência.

A isso, diz o sindicato, somam-se a “falta de respeito que a TAP tem vindo a ter perante os tripulantes” e as “mais do que questionáveis decisões de gestão que acabam por ter um impacto direto e indireto” na vida destes trabalhadores.

A situação “culminou mais recentemente com a denúncia do Acordo de Empresa em vigor, acompanhado de uma proposta de AE inenarrável”, acrescenta.

O SNPVAC considera que desde o primeiro momento procurou “a via do diálogo, para tentar solucionar os vários diferendos e entendimentos antagónicos que têm surgido por parte da empresa nos últimos tempos”, argumentando que “ninguém pode acusar esta direção [sindical] de discursos incendiários, baseados em clichés populistas ou de sustentar as suas posições em meras demagogias, para satisfazer vontades momentâneas ou agendas pessoais”.

“Chega de faltas de respeito, incoerências e ilegalidades”, pode ler-se no comunicado aos associados.

Durante uma audição conjunta sobre a privatização da TAP na Comissão de Economia, Obras Públicas, Planeamento e Habitação, em 12 de outubro, o presidente do SNPVAC já tinha afirmado que os trabalhadores querem “uma administração competente, transparente e com sensibilidade social, algo que ao longo dos últimos meses, semanas e dias não se tem verificado por parte” da atual gestão.

Sustentando que “a atual situação da TAP não advém de ser privada ou pública, houve foi incompetência”, Ricardo Penarróias disse que, “nos 77 anos da história da TAP, os erros foram uma constante” e assumiu-se preocupado por se repetirem “os mesmos erros do passado”: “Uma privatização feita à pressa, em cima do joelho e sem ouvir os trabalhadores”.

 

  • Foto de abertura © João Chaves

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TAP Air Portugal terá 95 voos semanais para o Brasil no mês de julho

Uma delegação da TAP Air Portugal, liderada pelo seu...

Teste de táxi aéreo elétrico pode definir novo tipo de transporte para peregrinos do Hajj, na Arábia Saudita

Num movimento histórico, a Arábia Saudita conduziu com sucesso...

Instituto Superior de Aeronáutica e Turismo de Cabo Verde instalado na ilha do Sal

A Universidade Técnica do Atlântico (UTA) apresentou publicamente na...