Bem-vindo, !|Sair

Vulcão no Fogo – TACV cancela voos e cinzas desviam tráfego aéreo oceânico

O presidente do Conselho de Administração da ASA –Aeroportos e Segurança Aérea de Cabo Verde, disse hoje, segunda-feira, dia 24 de Novembro, que foram tomadas medidas de segurança, em resultado da erupção vulcânica deste domingo, na ilha do Fogo, com desvio de rotas e cancelamento de voos por parte das companhias aéreas, conforme já tinha noticiado ontem o ‘Newsavia’ (LINK notícia anterior relacionada).

Mário Paixão, que falava em declarações à Inforpress, agência noticiosa da República de Cabo Verde, indicou que o aeródromo de São Filipe está aberto mas tendo em conta a presença de poeira vulcânica nessa região, e que está a cobrir o espaço aéreo de Cabo Verde, tem havido desvios e cancelamentos de tráfego.

Porém, no domingo, após a erupção vulcânica, notou, foram realizados três voos, para São Filipe, no Fogo, sendo um voo comercial da TACV e dois voos charters da Cabo Verde Express, um deles com turistas.

Ainda hoje de manhã, disse, a TACV não realizou um voo para São Filipe, devido a essa ocorrência, também desviou o voo de São Vicente para a Praia, tendo vindo para o Sal, em consequência da presença dessa poeira vulcânica no ar que, segundo disse, afecta as turbinas dos aviões.

“Mas isso são decisões das operações das companhias aéreas que avaliam as informações concedidas por nós e outras instituições, e tomam as suas decisões. O aeródromo está aberto e continua aberto”, esclareceu Mário Paixão, informando que um voo da Cabo Verde Express deveria chegar hoje a São Filipe por volta do meio-dia.

Quanto a cuidados e medidas nos próximos dias, já que a situação é imprevisível, Mário Paixão disse que isso vai depender da evolução do desastre natural.

“A situação está preocupante na medida em que, como se sabe, as emissões de lavas estão aumentando, os acessos a Chã das Caldeiras praticamente bloqueados, muita poeira vulcânica na área do aeroporto… há essa incerteza, não sabemos como é que as coisas podem evoluir já que pode durar semanas e meses”, observou.

Mário Paixão garantiu, entretanto, que a nível da aviação civil a situação está “sob controlo”, tendo desde o início da ocorrência entrado em contacto com o Instituto da Meteorologia e Geofísica (INMG), a Agência da Aviação Civil, membros do Governo para monitorizar a situação e adoptar as medidas que se impõem em relação ao aeródromo de São Filipe, transportes aéreos domésticos e internacionais, e também com a FIR Oceânica do Sal.

“Lançámos imediatamente um alerta, e como as coisas evoluíram rapidamente, com emissões de gases e poeira a alta altitude, tivemos de emitir uma circular de informação aeronáutica a toda a aviação sobre essa ocorrência de erupção de um vulcão com emissão de gases e nuvens”, apontou.

“Estamos adoptando desde domingo, procedimentos especiais de aviões que entram na FIR Oceânica do Sal, desviando-os para outras rotas, para o sentido Oeste ou Leste, em função da sua posição evitando as nuvens de poeira vulcânica e de gases. Está tudo sob controlo”, assegurou.

Mário Paixão, finaliza referindo que neste momento há uma mudança constante de regime de ventos tendo sido também detectados gases na direcção Norte, ou seja, para São Nicolau e São Vicente a alta altitude, cerca de 27/30 mil pés, portanto a uma altitude de dez quilómetros, o que põe “de facto” em causa a navegação aérea a alta altitude.

 

  • A imagem que acompanha esta matéria é do vulcão que eclodiu na ilha do Fogo, no arquipélago de Cabo Verde, em pleno Oceano Atlântico, entre a África e a América do Sul, no domingo. Foi obtida de bordo de um avião da Cabo Verde Express, companhia regional que opera nas ilhas.

 

  • LINK para notícia atualizada em 25 de Novembro de 2014

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica