9M-MRO B777-200 Malaysia Airlines

BOEING 777-200 DA MALAYSIA AIRLINES DESAPARECIDO NA ÁSIA COM 239 OCUPANTES (Última actualização às 05h45)

Um Boeing 777-200 da Malaysia Airlines que fazia o voo MH370, entre Kuala Lumpur, na Malásia, e Pequim, na China, está desaparecido desde as 18h40 (GMT) de ontem, sexta-feira. A bordo seguiam 227 passageiros e 12 tripulantes, incluindo duas crianças.

A companhia anunciou esta madrugada (hora GMT) que perdeu o contacto com o avião quando este estava ainda a ser seguido no controlo de tráfego aéreo de Subang (Malásia) pelas 02h40 locais deste sábado (18h40 GMT de sexta-feira, dia 07 de Março). O avião deveria ter aterrado pelas 06h30 de sábado em Pequim (22h30 GMT de sexta-feira). Segundo as contas dos controladores aéreos a aeronave poderá ter se despenhado no mar controlado pelo Vietname, pois estava com duas horas de viagem.

Um porta-voz da companhia disse aos jornalistas em Kuala Lumpur que está a trabalhar com as autoridades dos dois países, que activaram meios de busca e socorro, para localizarem a aeronave. O vice-presidente da transportadora, responsável pela área operacional fez declarações semelhantes aos repórteres da cadeia norte-americana CNN.

A Malaysia Airlines é a companhia aérea nacional da Malásia – o capital pertence a investidores privados e ao Estado, este em minoria –  e é uma das maiores da Ásia, com um fluxo de aproximadamente 37 mil passageiros por dia de e para 80 destinos em todo o mundo. Tem uma frota de 113 aviões, segundo os registo da Airfleets.net, dos quais 15 são Boeing 777-200.

A companhia não voa para nenhum aeroporto do espaço da Comunidade de Países de Língua Portuguesa. Apenas para a Região Administrativa Especial de Macau, território que esteve sob administração portuguesa até 1999, na China. Os voos entre Kuala Lumpur e Macau começaram em Novembro de 1995, logo após a abertura do aeroporto local, e têm sofrido algumas interrupções, face a quebras de tráfego. Foram suspensos em 1998 e depois retomados em 2007. Sofreram nova interrupção em 2009 e voltaram a ser programados em 2010.

Numa mensagem no Twiter, a Boeing Corporation, fabricante do avião disse que “está monitorizando as buscas pelo avião malaio” e que seus “pensamentos estão com todos a bordo”.

 

Comandante tinha 18.365 horas de voo

Numa conferência de imprensa que ocorreu na madrugada de hoje, sábado (hora GMT), em Kuala Lumpur, o presidente executivo da companhia disse que o comandante Zaharie Ahmad Shah, um malaio de 53 anos de idade, tinha 18.365 horas de voo e estava na Malaysia Airlines desde 1981. O co-piloto Fariq Hamid, também malaio (27 anos), tinha 2.763 horas de voo e estava na companhia desde 2007.

O avião desaparecido, registo 9M-MRO, número de série do fabricante 28420, fez o seu primeiro voo em 14 de Maio de 2002, tendo entrado na frota da Malaysia no dia 31 do mesmo mês. Está equipado com dois reactores Rolls Royce Trent 892.

As últimas notícias sugerem que o avião poderá ter-se despenhado numa zona a cerca de 160 milhas a Nordeste de Kota Bharu (Malásia) sobre o Golfo da Tailândia. É contudo uma suposição, tendo em conta a hora e a posição em que deixou de estar nos radares. Controladores aéreos do Vietname que seguiam a rota do voo MH370 detectaram uma queda abrupta do avião antes de desaparecer dos radares, pelo que admitem também que se tenha despenhado de forma muito rápida. No entanto, salvaguardam essas declarações com uma referência a que, naquela zona de voo, são frequentes as interferências nos sistemas de radar, o que não lhes permite, por vezes, ter uma leitura correcta do ocorrido.

 

153 chineses a bordo

Segundo a companhia aérea viajavam no Boeing 777-200 desaparecido passageiros de 14 nacionalidades. Os que se encontravam em maior número eram chineses (153), malaios (38) e indonésios (12). Seguem-se australianos (7), norte-americanos (4), franceses (3). Entre os restantes passageiros estavam a bordo dois neozelandeses, dois ucranianos e dois canadianos, um russo, um italiano, um chinês de Taiwan, um holandês e um austríaco.

 

Avião esteve envolvido num outro incidente em Xangai

No site www.avherald.com foi recordado nesta madrugada que o 9M-MRO esteve envolvido num incidente com um Airbus A340 da China Eastern Airlines, no Aeroporto de Xangai (China) há cerca de 18 meses. Colidiram em plena placa, quando o avião malaio se dirigia para a sua posição de estacionamento. Na altura foram reportadas avarias pesadas numa das asas do avião agora desaparecido.

Este incidente relembra factos ocorridos. Em 12 de Agosto de 1985 um Boeing 747SR da Japan Airlines despenhou-se no Japão numa viagem de Tóquio para Osaka. Foi o segundo pior desastre aéreo no mundo com um avião comercial, e nele morreram 520 pessoas. No relatório é referido que uma explosão na cauda estaria directamente ligada a uma reparação mal feita e que esse facto seria responsável pela queda do avião.

 

  • Na imagem o avião Boeing 777-200 da Malaysia Airlines, registo 9M-MRO, que se encontra desaparecido desde a noite de ontem (hora GMT) – Foto obtida em 09 de Agosto de 2012 no Aeroporto de Frankfurt am Main (Alemanha) por Matthew (www.irelandaviation.com)

 

 

Leave A Comment