Bem-vindo, !|Sair

Aeródromo em Igarassu (PE) entra na rota da aviação executiva brasileira

O ministro-chefe da Aviação Civil do Brasil, Moreira Franco, assinou hoje, quarta-feira, dia 22 de Maio, a outorga do Aeródromo Coroa do Avião (SIFC), o primeiro aeródromo privado e em operação de Pernambuco, localizado no município de Igarassu, a 23 quilómetros da capital Recife.

É a primeira vez que o governo federal permite a exploração comercial de pousos e descolagens de aeronaves a um empreendimento já em operação, destinado à aviação executiva. O empreendimento é 100% privado, instalado no terreno da Gran Marco Construtora.

Até agora, a comercialização do espaço girava em torno dos espaços nos hangares para abrigar helicópteros, aviões e jatos executivos. “Há um esforço de criar condições para que a iniciativa privada opere nos aeroportos da aviação geral. Esse aeroporto tem capacidade para operar com aviões executivos, assim cumprindo a política que estamos executando no país”, defendeu o ministro ao citar o Programa de Investimento em Logística: Aeroportos, coordenado pela Secretaria da Aviação Civil (SAC).

Desde que entrou em operação, em 2012, o aeródromo teve a sua infraestrutura ampliada. Graças a esses investimentos, o espaço poderá ser uma opção para a aviação executiva ao Aeroporto de Internacional de Recife/Guararapes – Gilberto Freyre, principalmente durante o período da Copa do Mundo de 2014. Nesse tipo de aeródromo não são permitidas as operações de voos regulares. Actualmente, uma média de 60 pousos e descolagens são registadas no aeroporto por dia.

Quando for concluído, o espaço de 90 hectares será ocupado com 10 hangares de três mil metros quadrados cada; 22 hangares de mil metros quadrados (hoje existem três); oito hangares de 540 metros quadrados (hoje há dois); além de um terminal de passageiros e centros de manutenção e treinamento. A capacidade do aeroporto passará a ser de 240 aeronaves.

 

Região Nordeste beneficiada

A região nordeste será beneficiada com o programa de aviação regional desenvolvido pela SAC, anunciou hoje o governo brasileiro. São, ao todo 62 aeroportos distribuídos na região, que atendem uma demanda de 3,5 milhões de passageiros por ano, para uma demanda projectada de 10 milhões e meio de passageiros em 2025.

Em Pernambuco, nove aeroportos estão no plano de aviação regional, sendo que seis já estão em fase de estudo preliminar (Afogados da Ingazeira, Araripina, Arcoverde, Caruaru, Garanhuns e Serra Talhada), dois em fase de estudo de viabilidade técnica (Fernando de Noronha e Salgueiro) e um ainda está em fase inicial (Petrolina). Ao todo o investimento previsto para o Estado de Pernambuco é de 216,8 milhões de reais (cerca de 72 milhões de euros).

“Temos em torno de 700 aeroportos, mas só 120 operando. Esse número é baixíssimo. Não temos aeroportos suficientes para a demanda actual. Além disso, a construção ou melhoria desses terminais gera empregos diretos, indiretos e estimula o desenvolvimento local”, explicou Moreira Franco, no Aeródromo Coroa do Avião. Lembrou ainda que a política de aviação entregou, por meio das concessões, melhorias nos principais aeroportos do país, como Brasília e Guarulhos.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica