ECTAA apresenta queixa contra o Grupo Lufthansa junto da União Europeia

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A ECTAA, organismo europeu em que a Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT) ocupa uma vice-presidência, formalizou na sexta-feira passada, dia 24 de Julho, uma queixa na Comissão Europeia contra o Grupo Lufthansa relativamente à taxa de 16 euros que o grupo anunciou vai passar a aplicar a partir de 1 de Setembro nas reservas efectuadas através dos sistemas de reservas disponíveis para as agências de viagens, denominados por GDS.

A queixa foi apresentada pela Confederação Europeia das Associações de Agências de Viagens e Operadores Turísticos (ECTAA) na Direcção de Mobilidade e Transportes da Comissão Europeia, tendo como base a aplicação do Regulamento da UE 80/2009 sobre o Código de Conduta para os Sistemas de Distribuição Global (GDS).

A ECTAA indica num comunicado que procedeu a “uma cuidada análise dos canais alternativos [aos GDS] propostos pela Lufthansa, incluindo os sites individuais das transportadoras em questão, ou a plataforma para os agentes do grupo” e concluiu que “não só não eram eficientes e viáveis, como ainda constituíam um retrocesso enorme nos actuais processos automatizados de reserva e emissão de bilhetes que os GDS constituem”.

“No seguimento de uma análise legal detalhada do anúncio da Lufthansa, a ECTAA decidiu apresentar queixa junto da Comissão Europeia, na medida em que a acção do grupo alemão de transportes constitui uma quebra do Regulamento 80/2009 do código de conduta para os GDS, em particular no que respeita às provisões dos artigos 10.4 e 10.5 do regulamento”.

“Efectivamente, se a plataforma de agente da Lufthansa cumpre a definição de um GDS como se encontra no artigo 2.4 do Regulamento, a Lufthansa, como ‘parent carrier’, é obrigada a cumprir com as obrigações especificadas nos artigos 10.4 e 10.5”.

A taxa anunciada pela Lufthansa a 2 de Junho para entrar em vigor a partir de 1 de Setembro, segundo a mesma nota, “representará um significativo acréscimo de custo para os consumidores” e colocará “os agentes de viagens numa situação de desvantagem competitiva face à distribuição directa por parte destas companhias aéreas”.

O presidente da APAVT e vice-presidente da ECTAA, Pedro Costa Ferreira, citado no comunicado, afirma que “desde o início do processo que estivemos cientes que este assunto tinha que ser tratado ao nível europeu, e não apenas nacional. Daí que nos tenhamos desde logo integrado nos trabalhos desenvolvidos pela ECTAA”.

Pedro Costa Ferreira acrescenta que “em qualquer circunstância, é dever da APAVT lutar pelos direitos das agências de viagens e pela liberdade económica, sempre na primeira linha da defesa do consumidor”.

A ECTAA prossegue em investigações legais “para saber até que ponto estas acções da Lufthansa infringem também as regras de concorrência europeia (artigos 101 e 102 do Tratado da UE)”, conclui o comunicado.

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

TAP Air Portugal retomou rota direta entre a Venezuela e a ilha da Madeira

– Cerimónia oficial e decoração a preceito na zona...

TAP Air Portugal terá 95 voos semanais para o Brasil no mês de julho

Uma delegação da TAP Air Portugal, liderada pelo seu...

Teste de táxi aéreo elétrico pode definir novo tipo de transporte para peregrinos do Hajj, na Arábia Saudita

Num movimento histórico, a Arábia Saudita conduziu com sucesso...