Helicóptero em que morreu Boechat não podia transportar passageiros

O helicóptero que caiu nesta segunda-feira, dia 11 de fevereiro, em São Paulo, matando o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quatrucci, pertencia a uma empresa não autorizada a transportar passageiros, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), revelou o jornal ‘Folha de S. Paulo’ (LINK notícia relacionada).

A empresa ‘RQ Serviços Aéreos Especializados Ltda.’ está habilitada para fazer fotografias e filmagens aéreas, e reportagem, que integram os denominados Serviços Aéreos Especializados (SAE). Em nota, a ANAC informa que, além das citadas, qualquer outra atividade remunerada não poderia ser prestada. “Tendo em vista essas informações, a ANAC abriu procedimento administrativo para apurar o tipo de transporte que estava sendo realizado no momento do acidente”, afirma a nota da autoridade nacional.

De acordo com a agência, o helicóptero, da fabricante norte-americana Bell Helicopter, estava em situação regular, com “Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até maio de 2023, e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até maio de 2019”. As licenças e habilitações do piloto da aeronave também estavam válidas.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica