Nigéria poderá banir a Turkish do País por irregularidades no serviço

O Governo Federal da Nigéria deu à Turkish Airlines um prazo até esta segunda-feira, dia 16 de dezembro, para explicar as sucessivas falhas de serviço e de consideração pelos seus passageiros nas rotas de Istambul para quatro aeroportos deste país africano: Abuja, Kano, Lagos e Port Harcourt.

A Turkish Airlines corre o riso de perder a autorização para voar para os aeroportos nigerianos se não apresentar uma justificação plausível e não se comprometer a uma melhor prestação de serviço. O ministro da Aviação, que é também o diretor-geral da Autoridade Nacional de Aviação Civil, Abdullahi Sidi, disse em nota oficial que a companhia comercial turca será banida do espaço aéreo nigeriano, se não modificar a maneira de trabalhar com os nigerianos.

Segundo a imprensa desta país africano, o de maior população do continente, é frequente faltarem malas em todos os voos regulares da Turkish. Na semana passada um voo chegou à Nigéria com os passageiros e poucas malas. Cerca de 85% das bagagens ficaram em Istambul, por falta de capacidade do avião.

Um porta-voz governamental disse no fim-de-semana que o melhor é a Turkish Airlines suspender imediatamente os seus voos e reorganizar-se. “Quando tiver o serviço organizado e os aviões com as capacidades suficientes para responder ao tráfego existente nas linhas, que permitam transportar os passageiros com as suas bagagens, então voltará a operar”.

Para Abdullahi Sidi o problema é muito grave porque os passageiros descontentes criam muitos problemas nos aeroportos a reclamarem o serviço, e a Turkish Airlines “está a colocar em causa a segurança dos aeroportos nigerianos”. Os passageiros reclamam também do atendimento do pessoal da companhia turca quando vão apresentar as suas reclamações.

O governo nigeriano falou também que a Turkish diminuiu o peso das bagagens atribuídas a cada passageiro e colocou aviões com menor capacidade de carga nas rotas, procurando com isso valorizar a cobrança de excesso de bagagem aos seus clientes. Este é também um dos motivos da revolta, alertam as autoridades governamentais.

É pouco claro o que poderá acontecer nesta segunda-feira, já que a companhia turca não respondeu ao governo da Nigéria. Perante o suposto silêncio dos responsáveis turcos os voos de Istambul poderem ser mandados para trás e a companhia banida até solucionar os problemas de que está a ser acusada.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica