TAAG reforça aluguer de aviões para enfrentar reestruturação técnica da empresa

Data:

https://arabaviationsummit.net/spot_img

A TAAG – Linhas Aéreas de Angola está a passar por uma fase de profunda reestruturação técnica e operacional, que implica a recuperação de aeronaves da sua frota e a entrada de novos equipamentos, habilitação e formação técnica de trabalhadores, bem como a admissão de novos colaboradores, face ao maior número de rotas e frequências programadas para os próximos meses, devido à retoma da rede de voos domésticos da empresa aérea.

A companhia de bandeira angolana acaba de prolongar o contrato com a empresa de matriz portuguesa Hi Fly, que continuará a voar, em regime ACMI, para a TAAG, depois de três meses em que assegurou o segundo voo diário entre Luanda e Lisboa (DT652/DT653). Admite-se que outros aviões da mesma empresa sejam alocados em Luanda para responder a um próximo incremento de voos internacionais, nomeadamente no longo curso, que será anunciado dentro de dias.

Um Airbus A330-300, matrícula 9H-HFA, que integra a frota da Hi Fly Malta, está a voar desde a semana passada com a designação TAAG e respetivo endereço de email na fuselagem, em ambos os lados. Segundo apurou o ‘Newsavia’, a Hi Fly poderá passar a fazer outros voos regulares da TAAG para Espanha (Madrid), República da África do Sul (Joanesburgo e Cidade do Cabo) e para o Brasil (São Paulo/Guarulhos) face à indisponibilidade da frota Boeing 777 da TAAG, devido a uma maior procura por voos de carga (LINK notícia relacionada) e, também, pelo facto de estarem a submeter-se a algumas inspeções técnicas e manutenções programadas.

Entretanto, a TAAG distribuiu nesta quarta-feira, dia 17 de agosto, um comunicado de imprensa no qual aborda precisamente as mudanças que estão em curso na companhia, previstas aliás, no seu plano de crescimento e reforço da operação, que, diz a empresa “está em linha com os indicadores de procura de mercado, no qual procuramos satisfazer a expectativa dos passageiros e responder a crescente afluência nos seus destinos preferenciais”.

A TAAG explica que conta aumentar a sua frota, “quer por via da recuperação de aviões que se encontram atualmente em manutenção, quer pelo recurso temporário a novas aeronaves (em regime de leasing), garantindo assim maior capilaridade na programação de voos para o transporte de passageiros e segmento de carga”.

A TAAG esclarece que tem atualmente aeronaves do tipo Boeing 777 e Boeing 737 em intensivo processo de manutenção, as quais uma vez recuperadas irão reintegrar a frota. Adicionalmente, e em substituição temporária das aeronaves que se encontram em manutenção, a TAAG tem igualmente aviões alugados em regime de wet lease.

Para responder à demanda de mercado a TAAG antevê igualmente o reforço da frota no segundo semestre de 2023, tendo adquirido numa perspetiva de longo prazo seis novos aviões Airbus A220 enquanto decorrem negociações adicionais com fornecedores, incluindo com a Boeing (LINK notícia relacionada).

No comunicado distribuído nesta quarta-feira, dia 17 de agosto, a TAAG parece responder indiretamente a alguns rumores que circulam desde há alguns dias em Luanda, de que a companhia se prepara para despedir pessoal que está há vários anos nos seus quadros. A TAAG assegura que “para fazer face ao crescimento e novo dimensionamento da sua operação conta, primeiramente, com o seu quadro de tripulantes e técnicos de manutenção, os quais estão abrangidos por um plano de formação exaustivo que inclui a tipologia de aeronaves Airbus, numa situação pioneira na história da TAAG”.

“Ainda assim, este incremento na frota e a expectativa de aumento de volume de tráfego a médio de prazo exige que a TAAG se foque no recrutamento e formação de pessoas para somar ao quadro de recursos humanos atual, dando prioridade (numa primeira fase) aos pilotos, engenheiros aeronáuticos e matemáticos”, adianta a companhia angolana.

No global, o plano de crescimento da TAAG “estará assente no contínuo reforço de competências e capacidade de resposta, com maior disponibilidade de pessoas e de aeronaves no intuito de cobrir mais rotas, melhorar o nível do serviço e conforto dos passageiros, tidos como pressuposto essencial para a rentabilidade e sustentabilidade da companhia”.

 

  • Foto de abertura © Dagoberto-Artavia/ San Jose de Puerto Rico

 

Compartilhar publicação:

REGISTE-SE

spot_img

Popular

spot_img

Mais como isso
Relacionado

Embraer vende seis aviões A-29 Super Tucano à Força Aérea Paraguaia

A Embraer anunciou nesta terça-feira, dia 23 de julho,...

Ryanair contesta “monopólio” da ANA e ameaça abandonar as rotas da Madeira

O Grupo Ryanair apelou à ANA – Aeroportos de...

Qatar Airways eleva ‘Melhor Classe Executiva do Mundo’ a novos patamares

A Qatar Airways apresentou nesta semana no ‘Farnborough International...