Bem-vindo, !|Sair

Venezuela queria saldar dívida com abastecimento de combustível até 15 anos

A Venezuela apresentou na semana passada uma proposta às companhias aéreas internacionais que voam para o país para que o pagamento da dívida seja satisfeito em combustível, com um prazo que poderia ir até aos 15 anos, dependendo das verbas que estão para pagamento e que seriam controladas pelo Cadivi, departamento governamental que regulamenta e supervisiona a saída de divisas de Venezuela.

Segundo refere hoje o portal noticioso latino-americano ‘Reportur.co’ a proposta não foi mal acolhida pelas companhias europeias, mas encontrou logo uma frontal oposição das companhias aéreas da América Latina que, por realizarem voos mais curtos, não poderão transformar as suas vendas em abastecimento das aeronaves, além de serem aquelas que mais dinheiro têm a receber pelo maior fluxo de passageiros.

Segundo as notícias que têm surgido na imprensa mundial nos últimos días a companhia que tem mais dinheiro a recebe em Venezuela é a American Airlines, com cerca de 750 milhões de dólares norte-americanos. As companhias latino-americanas têm a haver mais de um milhão de dólares e só duas somam uma dívida que ultrapassa a da American: a Copa Airlines (Panamá) pretende receber 487 milhões de dólares e a Avianca (Colômbia) cerca de 300 milhões.

Segundo refere o ‘Reportur.co’ a reunião com os representantes do Governo Bolivariano atingiu momentos de intensa discussão e agressividade verbal, e de grande inflexibilidade de ambas as partes, tendo os funcionários venezuelanos repetido a ameaça de que as companhias estrangeiras que abandonem os voos não voltarão a entrar, já que isso será até uma forma de potenciar o relançamento da companhia aérea estatal Conviasa nos voos internacionais, observaram. Recorde-se que essa ameaça já tinha sido feita pelo próprio Presidente da República Nicolás Maduro que afirmou de forma peremptória que “quem sair não volta mais”.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica