Prejuízo líquido da TAP reduz para 493 milhões de euros no primeiro semestre

A TAP evidencia no segundo trimestre deste ano, findo em 30 de junho, “sinais positivos de recuperação da sua atividade”, anuncia a companhia aérea portuguesa num comunicado de imprensa distribuído em Lisboa.

A companhia, que apresentou nesta sexta-feira, dia 27 de agosto, os resultados do 2º trimestre e do 1º semestre deste ano, reconhece que está “ainda abaixo dos níveis pré-pandemia, em linha com toda a indústria do transporte aéreo a nível global”. Contudo os números, embora denotem um abrandamento dos prejuízos, são ainda muito negativos e são resultado da paragem dos voos e do facto da companhia ter de recorrer a diversos financiamentos para manter a sua atividade operacional.

Relativamente aos números, o Relatório das contas da TAP refere que no segundo trimestre deste ano a companhia transportou 928 mil passageiros, mais 136% do que no trimestre anterior. O número de voos também aumentou mais de 100 por cento face ao primeiro trimestre, atingindo um total de 12 546 partidas.

Nos indicadores mais usados na indústria do transporte aéreo, a TAP aumentou em 124% o ASK (Available Seat/Km, ou lugares oferecidos por km voado) e em 116% o RPK (Revenue Per Km, ou receita por km voado).

As receitas totais do trimestre ascenderam aos 233 milhões de euros, mais 83 milhões que no trimestre anterior. No total do semestre atingiram 383,1 milhões de euros, menos 40,7% do que em igual período de 2020, quando atingiram 646,1 milhões de euros. Destaque para o setor de carga e correio em a que as receitas do trimestre chegaram a 104,5 milhões de euros, contra 53,2 milhões de euros nos primeiros seis meses de 2020. Uma subida de 96,3 por cento.

No segundo trimestre, a TAP continuou a execução do plano de transformação da companhia, com redução da frota (com saída de aviões mais velhos) e redução dos custos operacionais. Entre estes, destaca-se o decréscimo nos custos com pessoal (-30,4%) com 722 colaboradores a deixarem a empresa entre abril e junho de 2021.

A TAP obteve um resultado líquido negativo de -128 milhões de euros no segundo trimestre, o que evidencia uma melhoria de 65 por cento face ao primeiro trimestre do ano.

Na soma dos dois trimestres (primeiro semestre de 2021) a TAP teve um resultado líquido negativo de -493,1 milhões de euros, que comparado com o do primeiro semestre de 2020 (-582 milhões de euros) resulta numa melhoria de 15,3%.

 

  • Para quem se interessa por números deixamos aqui o LINK onde pode ser consultado o documento (pdf) do relatório da TAP no primeiro semestre de 2021.

 

 

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica