Voos de e para França em destaque nos aeroportos portugueses em janeiro passado

A França foi a primeira origem e destino dos passageiros que chegaram e partiram dos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro, em Portugal, no primeiro mês deste ano, destronando o Reino Unido no Algarve, onde os voos de e para as ilhas britânicas tiveram uma quebra de 96%, que é a maior de todos os aeroportos nacionais em janeiro de 2021, refere nesta quinta-feira, dia 25 de fevereiro, o ‘PressTUR‘.

Dados dos aeroportos portugueses geridos pela ANA/Vinci mostram que tiveram cerca de 130 mil passageiros nos voos de e para França, representando 17,4% do total dessas dez infra-estruturas, que começaram o ano com um total de 748,8 mil passageiros, -79,6% ou menos 2,9 milhões que no primeiro ano de 2020, ainda no pré-impacto agravado da pandemia de covid-19.

Os voos de e para França, de acordo com esses dados, embora tenham liderado o tráfego nos três maiores aeroportos do continente, ainda ficaram aquém do total de passageiros em voos domésticos, que foram 177,6 mil, em queda de 71,3% ou 441,5 mil.

Em voos internacionais, a quebra média de passageiros foi em 81,3%, para 571,1 mil, menos 2,48 milhões que em Janeiro de 2020, com quebras de 91% nas ligações com Espanha, de 61,9% nas ligações com a Suíça, de 79,5% nas ligações com a Alemanha, de 80,8% nas ligações com os Países Baixos, de 92,8% nas ligações com o Reino Unido e de 90,8% nas ligações com Itália.

Depois de França, a maior origem e destino internacional de passageiros dos aeroportos portugueses em janeiro foi a Suíça, com 69,6 mil, seguindo-se a Alemanha, com 55,4 mil, e o Brasil, com 53,6 mil.

Só depois surgem Espanha, com 38,5 mil, Reino Unido, com 29,4 mil, Países Baixos, com 25,1 mil, e Itália, com 16,7 mil.

No Aeroporto de Lisboa, maior do país, a queda de passageiros em janeiro foi de 80,8% ou 1,76 milhões, para 418,9 mil, com França em primeira origem/destino com 65,6 mil passageiros, à frente dos voos domésticos, com 62,9 mil, do Brasil, com 50,9 mil, Espanha, com 29,8 mil, e Suíça, com 25,6 mil.

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, teve 199,4 mil passageiros, em queda de 77,4% ou 684,6 mil, com 55,9 mil em voos de/para França, que tiveram queda em 68,5%, seguindo-se as ligações com a Suíça, com 43,9 mil, voos domésticos, com 34 mil, Luxemburgo, com 15,4 mil, e Alemanha, com 14,2 mil.

Faro manteve-se o terceiro aeroporto, com 33,8 mil passageiros, em queda de 86% ou 207,1 mil, destacando-se as ligações com França, com 6,8 mil, domésticas, com seis mil, Alemanha, com 5,8 mil, Reino Unido, com 3,7 mil, e Holanda, com 3,3 mil.

O Aeroporto da Madeira teve 52,5 mil passageiros, em queda de 76,6% ou 171,9 mil, com os voos domésticos a somarem 41,3% do total, com 33,3 mil, seguindo-se as ligações com a Alemanha, com 9,6 mil, Reino Unido, com 3,2 mil, França, com dois mil, e Polónia, com 1,5 mil.

No Aeroporto de Ponta Delgada, o maior dos Açores, a quebra de passageiros em janeiro foi em 70,3% ou 78,5 mil, para 33,2 mil, com 30,8 mil em voos domésticos, 834 em ligações com os Estados Unidos e 672 em ligações com Cabo Verde.

 

  • Texto da ‘PressTUR’, agência de notícias de turismo e viagens, parceira editorial do ‘Newsavia’ em Portugal.

Leave A Comment

Download de Notícias

Destaques

Temas

Área Geográfica